nsc
dc

Crime

PM que admite ser racista e ameaça mulher em vídeo é investigado em SC

Policial da reserva disse que não suportava negros e chama mulher de "macaca"

17/09/2021 - 16h32 - Atualizada em: 18/09/2021 - 11h18

Compartilhe

Catarina
Por Catarina Duarte
Joana
Por Joana Caldas
Helio Martins é investigado pela Polícia Civil por racismo
Helio Martins é investigado pela Polícia Civil por racismo
(Foto: )

O policial da reserva Helio Martins, 57 anos, é investigado pela Polícia Civil pelo crime de racismo. Ele é morador de São Ludgero, no Sul catarinense. Em um vídeo que circula nas redes sociais, ele diz que não suporta negros, chama a mulher que grava as imagens de macaca e admite ser racista. A identidade do homem foi confirmada pela polícia.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

— Porque eu tenho ódio, porque eu sou racista, porque eu não suporto negro. Eu tenho amigo negro, mas amigo decente, não essa negrada do c..., que é marrento que nem tu — afirma.

No vídeo, Martins aparece brigando com uma mulher. Além das falas racistas, o homem chega a ameaçar bater com um chinelo na interlocutora.

— Quer ver? Fala de novo. Fala de novo, sua macaca do c... Demônio, desgraçada.

Um inquérito policial aberto nesta sexta-feira (17) apura o crime. Segundo o delegado Éder Matte, responsável pelas investigações, o casal que aparece nas imagens já foi identificado. Eles estariam divorciados, segundo o delegado.

— Já determinei algumas diligências a respeito de identificar o local dos fatos, as autorias, enfim, todas as circunstâncias em que ocorreram esses fatos — pontua.

O crime de racismo é previsto pela Lei nº 7.716 /1989. A pena máxima é de três anos e também há previsão de pagamento de multa.

O caso de ameaça ainda não é investigado pela polícia. Segundo Matte, a mulher teria que prestar queixa para que seja possível apurar o crime. Até o momento, a mulher não procurou a polícia.

Veja o vídeo: 

A Polícia Militar de Santa Catarina emitiu nota sobre o caso, em que diz que o sargento Helio Martins está na reserva desde 2016. No texto, a polícia afirma repudiar qualquer violência contra mulher e o crime de racismo. O caso será encaminhado para Corregedora para uma possível investigação.

A reportagem procurou Helio Martins. Foi encontrado um perfil do policial militar da reserva nas redes sociais, em que foi feito contato com ele para repercutir o vídeo e a investigação. Cinco minutos após o envio do texto, a página de Martins foi excluída.

Confira a nota da PM na íntegra:

A respeito do referido vídeo divulgado recentemente em redes sociais, a Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), por meio do Centro de Comunicação Social vem esclarecer que:

- A PMSC repudia toda e qualquer tipo de violência contra a mulher ou vulnerável, bem como qualquer tipo de racismo. Diante deste fato, a referida ocorrência deverá ser apurada com rigor por todos os processos legais;

- O homem que aparece no vídeo é sargento da PMSC, que está na reserva desde 9 de março de 2016.

- Todo policial militar, seja de ativa ou da reserva, deve seguir em conformidade com os dispositivos previstos no Regulamento Disciplinar da PMSC, Código Penal Militar e legislação penal geral. O caso identificado será encaminhado à Corregedoria-Geral da PMSC.

Centro de Comunicação Social (CCS) da Polícia Militar de Santa Catarina

Leia também 

Câmera flagra ataque racista que terminou em agressões em Lages; polícia investiga o caso

Após apologia ao nazismo, estudantes de Criciúma são suspensos de escola

Ataques racistas a influenciadores de Balneário Camboriú acabam em denúncia na Justiça

Colunistas