nsc

publicidade

Investigação

Polícia acredita que facção do Morro do 25 está por trás de execuções na trilha da Cachoeira do Poção, em Florianópolis

Nas últimas três semanas, três pessoas foram encontradas mortas no local. Caso mais recente aconteceu no sábado (2)

04/11/2019 - 12h24 - Atualizada em: 04/11/2019 - 16h20

Compartilhe

Por Guilherme Simon
trilha Cachoeira do Poção
Trilha que dá acesso à Cachoeira do Poção, no Córrego Grande, onde três pessoas foram encontradas mortas neste mês em Florianópolis
(Foto: )

A Polícia Civil acredita que uma facção que atua no Morro do 25 está por trás das recentes execuções registradas na trilha da Cachoeira do Poção, no bairro Córrego Grande, em Florianópolis. Nas últimas três semanas, dois homens e uma mulher foram encontrados mortos no local.

O último caso aconteceu na madrugada deste sábado (2), quando uma mulher foi executada a tiros na trilha. Até o fim da manhã desta segunda-feira (4), a vítima ainda não havia sido identificada.

Os outros dois casos ocorreram nos dias 9 e 18 de outubro. No primeiro, a vítima estava com a mão e o pescoço amarrados e a cabeça coberta por um lençol. No outro, o corpo foi encontrado dentro de um rio próximo à trilha.

Segundo o delegado Ênio Matos, titular da Delegacia de Homicídios da Capital, as três mortes estão relacionadas e têm os mesmos autores: um grupo criminoso que atua no Morro do 25, comunidade localizada na região central de Florianópolis.

De acordo com Ênio, alguns dos integrantes da facção envolvidos nas execuções já foram identificados, mas até o momento nenhum deles foi preso. Perguntado sobre a motivação dos crimes e se eles estariam relacionados ao tráfico de drogas, o delegado preferiu não comentar para não prejudicar as investigações.

A reportagem também questionou o delegado se é possível que mais execuções registradas este ano em Florianópolis tenham relação com o grupo que atua no Morro do 25. Na semana passada, por exemplo, o corpo de um homem foi encontrado na região da Barra da Lagoa, em outra trilha na Capital.

Segundo o delegado Ênio Matos, a relação da morte na Barra da Lagoa com as execuções na Cachoeira do Poção está descartada. A respeito de outros casos, porém, o titular da Delegacia de Homicídios de Florianópolis preferiu não dar mais detalhes.

De acordo com o mais recente Boletim Semanal de Indicadores da Segurança Pública de Santa Catarina, divulgado na manhã desta segunda-feira (4), até o domingo (3) Florianópolis havia registrado 49 homicídios no ano. No mesmo período do ano passado foram 89 mortes.

Cachoeira do Poção

Situada no bairro do Córrego Grande, região urbana da cidade, a cachoeira tem fácil acesso por uma pequena trilha de pouco mais de meio quilômetro, com trajeto que dura em média 20 minutos, e atrai muitos visitantes nos meses mais quentes do ano. A área é de preservação ambiental, e faz parte do Parque Municipal do Maciço da Costeira.

Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

Deixe seu comentário:

publicidade