nsc
dc

Tecnologia

Programa de estímulo a meninas na tecnologia premia adolescentes em Florianópolis

Vencedoras ganharam bolsa de estudo em uma escola de programação

10/05/2022 - 06h00 - Atualizada em: 10/05/2022 - 06h23

Compartilhe

Catarina
Por Catarina Duarte
Grupo desenvolveu aplicativo que monitora praias próprias para o banho
Grupo desenvolveu aplicativo que monitora praias próprias para o banho
(Foto: )

O programa de incentivo à mulheres na tecnologia, Technovation Girls, premiou adolescentes em Florianópolis com bolsas de estudo em uma escola de programação. A etapa regional do evento ocorreu no sábado (7) e teve competição entre 11 equipes.

Receba notícias do DC via Telegram

Antes da competição, o projeto capacitou as meninas a desenvolverem um aplicativo para dispositivos móveis, com workshops de profissionais e especialistas que foram de brainstorm e planos de negócios até programação. Puderam participar adolescentes de 12 a 18 anos.

Entre os projetos vencedores está o aplicativo Save Ocean. Criado por meninas com idades entre 12 e 15 anos, ele disponibiliza informações sobre a problemática da poluição dos oceanos e relação de praias próprias para banho, além de apoiar a organização de mutirões para limpeza de praias.

Outro projeto vencedor foi o aplicativo Colour home, que reúne espaços de acolhimento que possam receber pessoas LGBTQIA+ expulsas de casa ou em situação de violência.

Desde 2010, mais de 25 mil jovens de mais de 100 países participaram do Technovation Girls. O desafio contabiliza ainda 19 mil profissionais envolvidos em mentorias e 9 mil aplicativos desenvolvidos.

Em 2020, mesmo com pandemia, o programa mobilizou mais de 2800 pessoas no Brasil, foram 1130 alunas inscritas, 599 mentoras voluntárias e 218 times formados.

Em Florianópolis, esse foi o primeiro encontro presencial do grupo.

Leia também 

Conselho Nacional cria o cadastro de bom motorista; cada Estado vai definir os benefícios

Sem detalhes, governo de SC diz que vai construir casas para moradores afetados pela chuva

Prédio histórico é pichado em Florianópolis após reforma de R$ 5,8 milhões

Colunistas