nsc
hora_de_sc

Caso de polícia

Quem é Mikaelly Martinez, a Miss Brasil Trans de SC presa por dopar e roubar clientes em programas

Ela é apontada pela polícia como responsável por cometer crimes durante programas sexuais e por ter envolvimento em um homicídio

02/12/2021 - 14h27 - Atualizada em: 02/12/2021 - 14h33

Compartilhe

Por Giulia Machado
Miss é conhecida como Mikaelly Zanotto ou Mika
Miss é conhecida como Mikaelly Zanotto ou Mika
(Foto: )

Mikaelly da Costa Martinez, conhecida como Mikaelly Zanotto, tem 25 anos e foi parar em manchetes de jornais de todo o país após ter a prisão preventiva confirmada pela Justiça e perder a coroa do Miss Brasil Trans. Ela é moradora de Balneário Camboriú e, segundo a polícia, usava o perfil no Instagram para atrair as vítimas, que eram dopadas e roubadas.

> Acesse para receber as notícias do Santa por WhatsApp

A mulher foi eleita pelo concurso de miss como a mais bonita do país em 2019 (veja vídeo abaixo). Na época, foi parabenizada pela produtora do evento através das redes sociais por dar continuidade a visibilidade e empoderamento da causa trans. 

Nas redes, ela compartilhava a rotina de cuidados, mostrando idas ao salão de beleza e participações em eventos, além de promover os concursos de miss.

Ao jornal local Campo Grande News, disse ter orgulho de sua origem. Ela é natural de Coxim, no Mato Grosso do Sul. Ao mesmo veículo, ela afirmou que o vestido usado na noite do concurso foi avaliado em R$ 30 mil e inspirado em rainhas medievais.

Para a polícia, a ex-miss usava o perfil pessoal no Instagram para atrair homens e, ao chegar a motéis, os dopava para furtar itens como celular, relógio e cartões de débito e crédito. Atualmente, o perfil com 14,6 mil seguidores se encontra sem fotos e com as publicações fechadas.

Em 2020, Mikaelly comemorou nas redes a conquista de um carro modelo BMW, o chamando de "novo brinquedinho". Os comentários exaltavam a beleza de Mika, como é chamada.

Veja fotos da ex-Miss Brasil Trans

Entenda o caso

Mikaelly foi presa enquanto curtia o domingo de sol na praia de Ipanema (RJ). O advogado tentou reverter a detenção, mas não conseguiu. Conforme a Polícia Civil, a jovem cometeu crimes em Santa Catarina, Rio de Janeiro, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

De acordo com policiais do Rio de Janeiro, uma das vítimas relatou ter saído de um bar na Avenida Érico Veríssimo, na Barra da Tijuca, em julho deste ano, rumo a um motel nas proximidades. No estabelecimento, Mikaelly teria dado uma cerveja, junto com alguma substância, ao homem que a acompanhava. Em depoimento, a vítima relatou que um comparsa da miss teria aparecido no quarto junto com ela, momentos depois.

Ao pagar a conta do motel, a vítima percebeu que teve três cartões de crédito e débito roubados, além de bens como celular e relógio. Na ocasião, a miss transex teria saído correndo do local após furtar o homem. Dias depois, foram feitas três transações financeiras de R$ 6 mil e uma tentativa de empréstimo de R$ 5 mil.

Conforme a Polícia Civil, a miss transex já esteve no Rio por duas vezes. Em ambas as ocasiões, ela cometeu o mesmo crime. Segundo os agentes, a autora também responde por envolvimento em homicídio na cidade de Coxim, em Mato Grosso do Sul, e já respondeu por diversos roubos e golpes em São Paulo, Florianópolis e Balneário Camboriú.

Com informações do Metrópoles, parceiro do NSC Total.

Veja vídeo do concurso

* Sob supervisão de Augusto Ittner

Leia também

Carro de luxo invade praia de Balneário Camboriú e é aplaudido por grupo de pedestres; veja fotos

Marido é preso quatro dias após matar a esposa dentro de carro em Blumenau

Filhotes de animais resgatados em Blumenau em 2021 encantam pela fofura; veja fotos

Réveillon de Blumenau teria atração nacional; dupla já havia até anunciado show

Colunistas