A atriz Samantha Schmütz falou sobre o impacto da morte do amigo Paulo Gustavo, em maio deste ano, e como a perda aumentou o engajamento dela nas redes sociais contra o governo Bolsonaro, a condução da pandemia no país e colegas de profissão que não se posicionam sobre o assunto.

Continua depois da publicidade

Brasil atinge marca de 500 mil mortos por Covid-19

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

As falas foram dadas em entrevista ao jornal O Globo deste domingo. Na publicação, a artista falou sobre o perfil mais combativo contra artistas que não têm se posicionado politicamente no momento atual do país. A situação chegou a causar brigas entre ela e as atrizes Juliana Paes e Deborah Secco.

No caso de Juliana Paes, Samantha disse ter conversado com a colega pela internet e que não iria tornar público o teor do diálogo. Já na situação envolvendo Deborah Secco, Samantha disse ter errado.

Continua depois da publicidade

– Estava muito chateada quando falei aquilo sobre a Deborah; a morte do Paulo estava muito recente. Eu errei, não foi legal. Não deveria ter feito. O dia que nos encontrarmos, quero falar sobre esse assunto com ela. Não desejo que isso vire uma grande coisa – afirmou, na entrevista ao O Globo.

Apesar disso, Samantha não poupou críticas a artistas que mantém o mesmo estilo de vida sem considerar as dificuldades impostas pela pandemia. Esse foi um dos motivos da polêmica entre ela e Juliana Paes, já que a humorista cobra um posicionamento mais forte dos artistas sobre esse tema. O assunto também motivou as críticas de Samantha a Deborah Secco.

– Falamos com tantas pessoas na internet e não estamos tratando assuntos sérios. Não é para as pessoas pararem de fazer publicidade ou dancinhas. Não é isso. Mas é cruel fazer neste momento. Mais uma vez, não estou apontando o dedo para alguém. Todos nós temos que nos questionar: Será que é legal só mostrar a vida maravilhosa? – afirmou ao O Globo, em referência à polêmica com Deborah Secco, quando disse que a atriz deveria mudar o sobrenome para “Toscca”.

Samantha participou de protestos contra o governo Bolsonaro após a morte do amigo Paulo Gustavo
Samantha participou de protestos contra o governo Bolsonaro após a morte do amigo Paulo Gustavo (Foto: Reprodução, Instagram)

O perfil mais combativo da atriz ganhou ainda mais força após a morte do colega Paulo Gustavo, vítima de complicações da Covid-19. Na entrevista ao jornal carioca, a atriz falou sobre o momento difícil de superar a perda e questionou o fato de a morte do humorista não estar sendo suficiente para despertar o posicionamento de alguns artistas, em especial em defesa da vacina e da saúde pública.

Continua depois da publicidade

– Vamos chamar as pessoas para a realidade. Paulo levou a metade da alegria do Brasil. Ele era próximo de todo mundo. Se essa pessoa que era parente do país inteiro não nos comoveu a ponto de realmente nos levantar, o que vai? Choro todos os dias desde que meu amigo partiu. É difícil. Todo lugar em que vou eu me lembro dele. São muitas recordações.

Leia também

SC vai receber mais de 300 mil doses da vacina contra Covid neste domingo

Chuva intensa provoca alagamentos e risco de enchente em cidades de SC

Apenas 1 região de SC sai do risco gravíssimo para a Covid-19; SC tem 15 áreas no vermelho

Lázaro, assassino em série de Goiás, deixou carta em esconderijo; veja trechos

Destaques do NSC Total