nsc
    dc

    Balanço

    SC registra novo pico de casos de covid-19 na pandemia; 33 mil estão ativos

    Ápice de casos de coronavírus, pela data dos sintomas iniciais, é no momento atual da pandemia e segue em alta. Nesta quarta-feira, Estado registra mais 46 mortes

    02/12/2020 - 19h07 - Atualizada em: 03/12/2020 - 13h21

    Compartilhe

    Cristian Edel
    Por Cristian Edel Weiss
    Soma de casos ativos e total de mortes ocorridas por semana se agravaram nos últimos 15 dias
    Soma de casos ativos e total de mortes ocorridas por semana se agravaram nos últimos 15 dias
    (Foto: )

    O novo pico de casos confirmados em Santa Catarina, conforme a data de aparecimento dos sintomas de coronavírus, deixou de ser no inverno e passou para a fase atual da pandemia, que segue registrando aumento diário de casos e mortes. Com os novos dados confirmados nesta quarta-feira, 2, pela Secretaria de Estado da Saúde, o dia 16 de novembro marca, até agora, o ápice dos primeiros sinais de covid-19 para 5.431 pacientes, o maior registrado num único dia em toda a pandemia. 

    URGENTE: SC anuncia toque de recolher em todas as cidades

    > Painel do Coronavírus: saiba como foi o avanço da pandemia em SC

    Antes disso, o ápice era em 20 de julho (5.335). Os números mais recentes ainda tendem a crescer, conforme a confirmação de mais casos nas próximas duas semanas, o que indica mais um fator de agravamento da pandemia em Santa Catarina. Nesta quarta-feira, o governo do Estado anunciou toque de recolher em todas as cidades cidades e o mapa de risco para covid-19 agora tem 15 das 16 regiões no nível gravíssimo. A ocupação de leitos de UTI adulto do SUS chega a 90,5% e novo recorde de casos ativos em toda a pandemia foi registrado: 33.034. 

    > Alesc aprova reabertura das escolas em meio a recorde de casos de Covid-19

    Foram confirmados pela Secretaria de Estado da Saúde 6.076 casos a mais do que na terça-feira, alcançando agora o acumulado de 378.621, o quinto maior do país. O Estado também registrou novas 46 mortes (veja adiante o detalhamento dos óbitos por cidade e dos casos ativos) e agora acumula 3.855 no total.

    Mais pessoas com sintomas em datas mais recentes ampliam o risco de contaminação

    A data de aparecimento dos sintomas é, segundo especialistas em saúde pública, um dos indicadores que permitem se aproximar da data real de infecção da doença. Conforme a Organização Mundial da Saúde, uma pessoa com o vírus leva de 1 a 14 dias para ter sintomas, sendo o mais comum no quinto dia. O gráfico abaixo ilustra essa situação. As últimas colunas são as que ainda tendem a crescer nas próximas semanas, por isso ainda são baixas.

    Novo pico é na fase recente da pandemia
    Novo pico é na fase recente da pandemia
    (Foto: )

    Para o professor do Departamento de Saúde Pública da Universidade Federal de Santa Catarina, Lúcio Botelho, o aumento da aglomeração de pessoas é o principal fator para a alta dos novos casos. Embora houvesse no começo da pandemia a preocupação com o inverno, devido à sazonalidade de outros vírus respiratórios e problemas cardiovasculares e o impacto disso no sistema de saúde, agora a situação é bem semelhante, a 18 dias do início do verão. A aglomeração em espaços fechados com ar-condicionado tende a ser mais um fator de contaminação, lembra Botelho. 

    > Estado notifica hospitais para que reativem leitos de UTI Covid imediatamente

    Apesar de 16 de novembro ser apenas um dia após o primeiro turno das eleições, Botelho afirma que é muito cedo para confirmar a relação, mas não descarta que o efeito das votações possa aparecer nos dados que forem liberados nos próximos dias. 

    Movimento de alta semelhante é apontado no gráfico de mortes (veja abaixo) em Santa Catarina. A semana passada registrou o maior índice de mortes desde a segunda quinzena de agosto, o mês mais crítico da pandemia. Foram 244 óbitos. Já nesta semana, apenas de domingo até esta quarta-feira, são 101. Ambos os gráficos estão relacionados indiretamente. No inverno, 10 dias após o Estado registra o pico de casos por data de sintomas verificou também o pico de mortes.

    Total de óbitos na semana passada é o maior desde agosto
    Total de óbitos na semana passada é o maior desde agosto
    (Foto: )

    Novas 46 mortes e 33.034 casos ativos nesta quarta-feira

    O Estado registrou nesta quarta mais 46 mortes (veja relação completa abaixo). Uma ocorreu em 8 de novembro, e as demais, entre 25 de novembro e 2 de dezembro. 

    >UFSC não acatará ordem do MEC para retomar aulas presenciais em janeiro

    São 14 moradores do Vale do Itajaí, 11 da Grande Florianópolis, 9 do Sul, 6 do Norte e 6 do Oeste. Os pacientes tinham entre 38 e 89 anos.

    Novos óbitos confirmados em SC

    Grande Florianópolis

    27/11: Masculino, 82, Florianópolis

    28/11: Masculino, 87, Florianópolis

    30/11: Masculino, 66, Florianópolis

    01/12: Feminino, 66, Florianópolis

    29/11: Masculino, 53, Palhoça

    30/11: Feminino, 63, Palhoça

    29/11: Masculino, 65, Santo Amaro da Imperatriz

    30/11: Feminino, 78, São José

    30/11: Feminino, 87, São José

    01/12: Masculino, 46, São José

    25/11: Feminino, 87, São João Batista

    Norte

    30/11: Masculino, 51, Itaiópolis

    01/12: Masculino, 59, Itapoá

    01/12: Masculino, 72, Jaraguá do Sul

    01/12: Masculino, 84, Joinville

    30/11: Feminino, 69, São Francisco do Sul

    01/12: Masculino, 71, Campo Alegre

    Oeste

    02/12: Masculino, 77, Chapecó

    30/11: Masculino, 84, Coronel Freitas

    01/12: Masculino, 87, Cunha Porã

    30/11: Masculino, 69, Quilombo

    28/11: Masculino, 72, Curitibanos

    01/12: Masculino, 71, Joaçaba

    Sul

    01/12: Feminino, 79, Araranguá

    30/11: Feminino, 85, Meleiro

    30/11: Masculino, 73, Criciúma

    30/11: Masculino, 74, Criciúma

    30/11: Masculino, 38, Braço do Norte

    25/11: Feminino, 63, Gravatal

    08/11: Masculino, 59, Imbituba

    01/12: Feminino, 89, Tubarão

    02/12: Masculino, 74, Tubarão

    Vale do Itajaí

    30/11: Feminino, 51, Apiúna

    30/11: Feminino, 41, Blumenau

    01/12: Feminino, 55, Blumenau

    01/12: Feminino, 74, Blumenau

    01/12: Feminino, 81, Blumenau

    01/12: Feminino, 87, Blumenau

    01/12: Masculino, 79, Blumenau

    02/12: Masculino, 86, Blumenau

    01/12: Masculino, 71, Indaial

    28/11: Masculino, 81, Pomerode

    30/11: Masculino, 57, Pomerode

    30/11: Feminino, 69, Camboriú

    30/11: Masculino, 78, Camboriú

    01/12: Feminino, 59, Camboriú

    Anvisa define regras de autorizações temporárias para vacina contra Covid-19

    Soma de casos ativos atinge novo recorde na pandemia, o terceiro em quatro dias

    Por mais um dia, o total de casos ativos em SC atingiu o nível mais alto desde março. São 33.034 em tratamento contra a covid-19, 756 a mais do que no dia anterior. O Vale do Itajaí segue como a região mais crítica (8.834), seguido do Sul (7.925) e Grande Florianópolis (5.579). Todas, porém, apresentam tendência de alta. 

    Todas as regiões apresentam aumento de casos ativos
    Todas as regiões apresentam aumento de casos ativos
    (Foto: )

    As cidades com mais pacientes em tratamento contra a covid-19 são Florianópolis, Joinville e Criciúma.

    15 cidades com mais casos ativos

    Florianópolis 2818

    Joinville 2381

    Criciúma 1640

    Brusque 1210

    Blumenau 1207

    Lages 1173

    Palhoça 952

    Tubarão 760

    Jaraguá do Sul 732

    Balneário Camboriú 665

    Itajaí 646

    Araranguá 607

    Chapecó 573

    São José 567

    Camboriú 503

    O professor do Departamento de Saúde Pública da UFSC, Lúcio Botelho, alerta para a necessidade de isolamento social, porque a taxa de contágio, com mais de 33 mil casos ativos, é muito alta, com uma média de cada 100 pacientes com o vírus podendo infectar outros 140.

    Leitos de UTI adulto do SUS têm 90% de ocupação

    Santa Catarina tem 711 pacientes diagnosticados ou suspeitos de coronavírus internados em terapia intensiva (UTI) nas redes pública e privada no Estado. A soma superou o dia anterior e é novamente a maior de toda a pandemia. Só na rede pública, são 609 internados.

    O índice geral de ocupação das UTIs é de 85,7%, considerando leitos adultos, infantis e neonatais. No entanto, sobe para 90,5% quando considerados apenas os leitos adultos, onde estão hoje 99 em cada 100 pacientes suspeitos ou diagnosticados com covid-19 internados pelo SUS.

    A situação mais crítica é do Sul do Estado, onde há 95% de ocupação dos leitos adultos. Meio-Oeste, Serra, Vale e Foz do Itajaí e Planalto Norte também apresentam mais de 90% de uso. 

    Ocupação de leitos gerais do SUS (adultos, pediátricos e neonatais)

    Vale do Itajaí: 89,1%

    Meio-Oeste e Serra: 88,9%

    Sul: 88,8%

    Foz do Rio Itajaí: 86,4%

    Oeste: 85,9%

    Planalto Norte: 82%

    Grande Florianópolis: 81,5%

    Ocupação de leitos adultos (os mais afetados por covid-19)

    Sul: 95%

    Meio-Oeste e Serra: 91,9%

    Vale do Itajaí: 91,3%

    Foz do Rio Itajaí: 90,5%

    Planalto Norte: 90%

    Grande Florianópolis: 88%

    Oeste: 85,7%

    Há 11 hospitais com 100% de ocupação

    Santa Catarina tem 11 hospitais que atendem pelo SUS com 100% de ocupação dos leitos adultos, 10 deles com pacientes suspeitos ou confirmados para covid-19, segundo dados do governo do Estado. No Norte do Estado, estão nessa condição os hospitais Bethesda, São Brás e Maternidade Darcy Vargas. 

    No Sul, Hospital de Caridade, São Camilo e São Donato. No Vale do Itajaí, Hospital Azambuja, Bom Jesus e Regional Alto Vale. No Litoral Norte, Hospital Ruth Cardoso. No Meio-Oeste, Hospital Hélio Anjo Ortiz. Na Grande Florianópolis, Hospital Governador Celso Ramos. 

    Dados completos de mortes, casos ativos, UTIs e situação por cidade estão disponíveis no Painel do Coronavírus.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas