nsc
dc

Pandemia

SC tem 3 regiões com risco gravíssimo para coronavírus e 12 em situação grave

Mapa de risco do governo divulgado nesta quarta (11) indica agravamento da pandemia

12/11/2020 - 06h22 - Atualizada em: 12/11/2020 - 16h05

Compartilhe

Por Guilherme Simon
Coronavírus em Santa Catarina
Região da Grande Florianópolis entra na segunda semana consecutiva em risco gravíssimo
(Foto: )

Subiu para três o número de regiões em nível de risco gravíssimo (com cor vermelha no mapa) para coronavírus em Santa Catarina, aponta o novo mapa do governo do Estado, divulgado na noite desta quarta-feira (11). A atualização revela um agravamento da pandemia. Outras 12 regiões estão em nível grave (laranja), e apenas uma em nível alto (amarelo). Não há regiões com risco moderado (azul).

> ATUALIZAÇÃO: SC corrige erro e cai de 3 para 2 regiões em risco gravíssimo para coronavírus

> SC chega ao número mais alto de contaminados por coronavírus e capazes de transmitir a doença

Agora, as três regiões com risco gravíssimo são Grande Florianópolis, que voltou a esse patamar na semana anterior e se manteve, e Meio-Oeste e a região de Xanxerê, no Oeste. Santa Catarina não tinha uma região classificada com nível gravíssimo desde o dia 15 de setembro.

Além das três regiões que estão atualmente nesta classificação, o governo catarinense também informou que as áreas do Oeste, Planalto Norte e de Laguna tiveram pontuações muito próximas do risco gravíssimo.

Na semana passada, o Estado tinha uma região em situação gravíssima, 11 em risco grave e quatro em nível alto.

> Volta às aulas presenciais é suspensa em regiões de risco grave para coronavírus em SC

Situação atual

Gravíssimo: Grande Florianópolis, Meio-Oeste e Xanxerê

Grave: Extremo Sul, Laguna, Serra, Foz do Itajaí-Açu, Médio Vale, Alto Vale, Nordeste, Planalto Norte, Vale do Rio do Peixe, Oeste, Alto Uruguai e Carbonífera

Alto: Extremo Oeste

O mapa de classificação de risco é divulgado semanalmente pelo governo catarinense. Os níveis de risco, gravíssimo, grave, alto e moderado, são calculados a partir da combinação de fatores como transmissibilidade do vírus, leitos vagos e aumento de casos ativos de coronavírus em cada região.

> Entenda o que está liberado e proibido em cada região de SC

Colunistas