nsc
dc

TI

Setor de TI tem crescimento de 310% das vagas no último ano

Aumento na demanda por mão de obra qualificada impulsiona a criação de cursos na área de tecnologia

05/03/2021 - 14h07

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
Aumento na demanda por mão de obra qualificada impulsiona a criação de cursos na área de tecnologia
De olho no futuro, universidades se preparam para abraçar área de tecnologia
(Foto: )

Um levantamento realizado pela GeekHunter, startup de consultoria, referência em recrutamento de profissionais de TI, mostrou que o total de vagas abertas no setor de tecnologia da informação em 2020 teve um aumento de 310%. E, de acordo com dados do Banco Mundial, até 2024 haverá a criação de, aproximadamente, 420 mil novas vagas de emprego na área. São números bastante expressivos, ainda mais se levarmos em consideração a crise econômica que atravessamos e a alta taxa de desemprego.

> Universidade propõe a criação de projeto de lei de combate à violência contra professores

Se, por um lado, a pandemia causou instabilidade para diferentes setores da economia, por outro, o isolamento social exigiu que as empresas acelerassem seus processos de transformação digital, aumentando a demanda por profissionais de TI. Para startup, a busca por inovação e a necessidade de migrar as operações de negócio para o meio digital foram fundamentais para esse crescimento. Ainda segundo o levantamento já citado, houve um aumento de quase 15% das empresas ativas na plataforma da GeekHunter com vagas abertas para profissionais de TI, principalmente, de desenvolvimento de software e Data Science.

Empresas de todos os nichos e portes precisaram investir, em maior ou menor escala, em tecnologia para sobreviver e crescer em meio à crise, no entanto, a pesquisa WW Covid-19 – Impact on IT Spending Survey – apontou as organizações da área da saúde e da educação foram as que mais precisaram contratar profissionais de TI. Na área da saúde, para o desenvolvimento de pesquisas e gerenciamento de processos diretamente relacionados ao combate ao coronavírus. Já as empresas de educação precisaram investir no ensino a distância, readequar metodologias pedagógicas para o meio virtual e adquirir tecnologias que permitissem a continuidade das atividades.

Para 2021, as previsões são bastante animadoras: a startup acredita que o setor de tecnologia vai se manter em expansão durante muitos anos e projeta crescimento de mais de 300% em relação a 2020.

Universidades se preparam para formar profissionais de TI

O aumento da procura por profissionais de tecnologia da informação reflete na alta das matrículas em cursos como Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Ciências de Dados e Análise de Comportamento, Engenharia de Software, Gestão da Tecnologia da Informação, Sistemas para Internet.

A Unicesumar – quarta maior universidade do país e referência em EAD – registrou um aumento de 39% nas matrículas na graduação a distância em 2020, desses novos alunos, 64% optaram por algum curso da área de tecnologia.

– O setor de tecnologia é fundamental para a continuidade dos negócios de praticamente todas as empresas pós-pandemia. Por isso, lançamos três novos cursos de TI, com foco na formação de profissionais que atendam à necessidade de mão de obra especializada nesse setor em pleno crescimento – explica Kátia Coelho, diretora de graduação da EAD Unicesumar.

Um dos novos cursos de TI oferecidos pela Unicesumar é a graduação em Ciências de Dados e Análise de Comportamento – totalmente a distância, o curso que forma tecnólogos prontos para atuarem na área e tem duração de dois anos e meio.

Flávia Matuzawa, coordenadora dos cursos de TI da Unicesimar afirma que esse mercado tem abarcado profissionais de diferentes áreas como matemáticos, estatísticos, programadores, cientistas da computação, engenheiros. Por isso, a necessidade de oferecer uma formação específica, que atenda às demandas pontuais do mercado.

– O cientista de dados e de comportamento deve ser capaz de coletar, analisar, mensurar e transformar os dados colhidos por uma empresa em informação relevante. Esse profissional tanto pode ser o ponto focal em uma empresa, em termos de análise dos dados, orientação da mineração dos dados, escolha de técnicas, como pode fazer parte de uma equipe e ter uma atuação mais específica, porém coletiva e engajada em um projeto maior. Estamos buscando profissionais que já atuam no mercado de ciência de dados bem como professores doutores para contribuírem com a elaboração de conteúdos de qualidade. Além disso, por se tratar um curso tecnólogo apresenta uma matriz curricular enxuta e conectada com o mercado – afirma Flávia Matuzawa.

A coordenadora acredita que os cursos de TI têm relevância há décadas, devido ao contexto de virtualização de muitos processos em nossa vida e rotinas diárias. Com a pandemia, o aumento das atividades online tornou os profissionais imprescindíveis para as empresas.

Se a área de TI está em plena expansão, as Ciências de Dados são ainda mais relevantes para o mercado. É nisso que acredita a diretora de graduação da Unicesumar.

– Esse profissional não fica desempregado e, muitas vezes, consegue uma colocação no mercado ainda durante o curso – afirma Kátia Coelho, diretora de graduação da Unicesumar.

Polo tecnológico de Florianópolis tem crescimento animador em 2020

Florianópolis possui mais de quatro empreendimentos de tecnologia e inovação. De pequenas startups em incubadoras a grandes empresas, o setor é responsável por 14% do PIB da capital de Santa Catarina – é o que dizem os dados da Prefeitura Municipal.

As primeiras incubadoras de empresas de tecnologia foram criadas em meados da década de 1980, quando surgiram as primeiras graduações na área. Hoje, mesmo com salários acima da média nacional, o setor ainda sofre por não conseguir suprir a demanda por profissionais. Para a Associação Catarinense de Tecnologia (Acate) – segundo o relatório Tech Report 2020 – a falta de mão de obra especializada é o principal desafio para o setor de inovação em SC.

Ainda de acordo com o relatório, o estado começou 2020 com cerca de mil vagas de TI abertas, 48,9% delas na capital. O estudo da Associação aponta que a evasão nos cursos de tecnologia é bastante elevada: somente 11,4% dos que ingressam em um curso de graduação em tecnologia concluem o curso.

Para reduzir esse déficit, a Unicesumar investe em ferramentas que proporcionam uma completa e agradável experiência de aprendizado, permitindo que os alunos sejam protagonistas de suas jornadas durante toda a graduação. Assim, contribui para a formação de profissionais de TI mais autônomos, motivados e com conhecimentos teóricos e práticos para atender à essa crescente demanda do mercado.

Para saber mais sobre os cursos oferecidos e como ingressar no Ensino Superior em 2021, acesse o Portal Unicesumar.

Leia também:

> Conheça a ferramenta que ajuda quem busca oportunidades de trabalho

> EAD: as áreas mais procuradas para ensino a distância

Colunistas