nsc
santa

Ex-foragido

Suspeito de envolvimento no assassinato cruel de jovem de Blumenau é preso na Paraíba

Ex-companheira de blumenauense, suspeita de planejar o crime, continua com o paradeiro desconhecido

24/07/2022 - 07h01

Compartilhe

Bianca
Por Bianca Bertoli
João foi buscar o filho de quatro anos quando se tornou vítima de uma emboscada
João foi buscar o filho de quatro anos quando se tornou vítima de uma emboscada
(Foto: )

Um dos suspeitos de envolvimento no assassinato cruel do morador de Blumenau João Philip Gonçalves Nunes foi preso na Paraíba na última sexta-feira (22). O crime aconteceu em dezembro do ano passado em Curitiba, quando João, 23 anos, foi buscar o filho com a ex-companheira, já que tinha direito à guarda do menino. 

> Acesse para receber as notícias do Santa por WhatsApp

Para a Polícia Civil, ela armou uma emboscada para o rapaz.

O suspeito, também de 23 anos, seria o atual companheiro da ex-mulher de João. Ele e a parceira foram indiciados por homicídio qualificado e subtração de incapaz, pois a criança de quatro anos não foi entregue aos avós paternos, conforme determinação judicial.

A suspeita de planejar o assassinato, porém, não foi encontrada. Ela é considerada foragida.

O crime

De acordo com o delegado Thiago Nóbrega, em dezembro de 2021 João foi até a capital paranaense de carro acompanhado dos pais para buscar o garoto. Conforme a investigação, ao chegar a Vila Corbélia, uma favela, o rapaz seguiu as orientações da ex-mulher e foi até o local indicado por ela através de mensagens de texto.

Isso era por volta das 10h.

Na casa teria sido brutalmente espancado com golpes na cabeça e esfaqueado até a morte por quatro homens. Depois o corpo foi jogado em uma área de mata próxima.

Ainda de acordo com o delegado, preocupados com a demora do filho, os pais de João teriam entrado na comunidade. Lá teriam ouvido de uma mulher que era melhor saírem do local para não acabarem mortos. O rapaz foi achado sem vida no mesmo dia, perto das 13h30min, por uma pessoa que passava na região, viu o corpo e chamou a polícia.

— O João combinou com essa ex-companheira de ir até o local onde ela estava para pegar a criança e ela acabou armando uma emboscada para ele. Porque assim que ele chegou na favela, ela o levou até os comparsas, que espancaram João até a morte e desovaram o corpo numa área de mata nas proximidades — explica Nóbrega.

O policial conta que a ex-mulher brigou pela guarda da criança na Justiça e chegou a dizer que o pai abusava sexualmente do filho. Laudos confirmaram que se tratava de mentira. A Vara da Família concedeu a tutela do pequeno para João.

A mãe da vítima, Katia Regina da Silva, diz que o filho tinha a guarda do neto desde dezembro do ano passado. Porém, a mãe do pequeno estava com ele porque a Justiça tinha autorizado a passar um período com a genitora. Depois disso o menino não teria sido trazido de volta ao Vale do Itajaí e João teria conseguido uma ordem judicial para buscar o garoto.

Sabendo que o ex-companheiro iria buscar o filho no domingo, a mulher teria dito a traficantes que o homem violentava a criança.

— Ela começou a espalhar esses boatos dentro da favela onde mora para que os traficantes locais pegassem raiva dele. E de posse desses boatos, assim que o João chegou na comunidade, ela avisou os traficantes. E normalmente nesse tipo de caso (estupro) eles acabam matando mesmo de modo cruel — conta Nóbrega.

Leia também:

Rodoviária de Blumenau terá mais lojas e até ar-condicionado

Vereadores de Blumenau concedem status de utilidade pública a associação cervejeira

A doença que mais afasta servidores de Blumenau do trabalho em 2022

Colunistas