nsc
hora_de_sc

À beira do colapso

Florianópolis atinge 97% de ocupação nos leitos de UTI

Dados foram atualizados pela prefeitura da Capital na manhã desta quinta

09/07/2020 - 08h47 - Atualizada em: 09/07/2020 - 11h21

Compartilhe

Por Guilherme Simon
UTIs em Santa Catarina
Conforme dados da Prefeitura de Florianópolis, há apenas 6 leitos de UTI adultos livres no momento
(Foto: )

A taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidades de Terapia Intensiva) em Florianópolis chegou a 97,16% nesta quinta-feira (9). Os dados constam no Covidômetro, ferramenta da prefeitura para divulgação dos números do coronavírus na cidade, e foram atualizados durante a manhã. Na quarta, a taxa estava em 94,6%.

> Prefeituras da Grande Florianópolis buscam decreto único com regras contra a Covid-19

O número é referente aos leitos de UTI para adultos. De acordo com a prefeitura, dos 211 leitos totais, 170 estão ocupados. Outros 35 estão indisponíveis. No momento, apenas 6 leitos estão livres para receber pacientes adultos em Florianópolis. A prefeitura também passou a divulgar a taxa de ocupação de UTIs pediátricas, que está em 60,87%, e neonatal, atualmente em 95%.

À beira do colapso, o sistema de saúde da Capital sofre os reflexos do aumento de casos de coronavírus. Nos últimos 30 dias, o número de doentes com a Covid-19 mais que dobrou. Eram 1.089 casos confirmados em 8 de junho. Na quarta (8), um mês depois, o número já chegava a 2.537. 

> Entidades se manifestam contra indicação de ivermectina para pacientes com covid-19

Por consequência, aumentam também as mortes. O total de vítimas fatais da doença em Florianópolis passou de 9 para 27 no mesmo período. O crescimento ocorreu depois de a cidade comemorar um mês sem sequer um registro de óbito por coronavírus.

Os dados também são do Covidômetro. Eles diferem dos divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), que precisa validar as informações que recebe dos municípios antes de inclui-las no boletim do governo.

O secretário de Saúde Florianópolis, Carlos Alberto Justo da Silva, falou sobre a taxa de ocupação de leitos na Capital nesta quinta à rádio CBN Diário.

> Santa Catarina tem três regiões em nível gravíssimo de risco para coronavírus; veja quais são

Ele classificou a situação como “extremamente preocupante”, e afirmou também que é necessário que haja uma “regulação mais efetiva” da ocupação de leitos das UTIs na Capital por parte do Governo do Estado.

De acordo com o secretário, o sistema de saúde da cidade acaba sobrecarregado pela demanda de municípios menores que não possuem estrutura e que, por conta disso, precisam encaminhar os pacientes para cidades maiores, como a Capital.

Ouça a íntegra da entrevista:

Além de Florianópolis, o avanço da Covid-19 e a consequente lotação de hospitais também preocupa outras cidades da região, que está com a ocupação de UTIs em nível gravíssimo, confome o mapa de risco do Governo de Santa Catarina atualizado semanalmente.

> Santa Catarina tem a terceira maior taxa de contágio por coronavírus no país e curva em ascensão

Nesta quarta, o assunto foi tema de uma reunião entre os prefeitos de Florianópolis, São José, Palhoça e Biguaçu com o secretário de Estado de Saúde, André Motta Ribeiro. As prefeituras decidiram a auxiliar o Estado na contratação de novos leitos de UTI para tratamento de pacientes com coronavírus e aguardam a validação de mais leitos.

Os municípios também anunciaram que vão tomar medidas coordenadas de combate à doença. Nesta quinta, a prefeita de São José, Adeliana Dal Pont, afirmou que a ideia é fazer um decreto conjunto entre as prefeituras.

Colunistas