nsc
    dc

    Medicamento

    Entidades se manifestam contra indicação de ivermectina para pacientes com covid-19

    Remédio ainda não foi testado em humanos com o novo coronavírus e pode causar efeitos colaterais se combinado com cloroquina ou hidroxicloroquina, diz associação

    07/07/2020 - 05h00 - Atualizada em: 08/07/2020 - 11h45

    Compartilhe

    Lucas
    Por Lucas Paraizo
    Coronavírus laboratório
    Indicação se baseia em resultados de laboratório de uma pesquisa na Austrália
    (Foto: )

    A ivermectina é a droga da vez nas indicações de tratamentos "milagrosos" contra o novo coronavírus. Em Santa Catarina o vermífugo já foi indicado por prefeituras e, em algumas cidades, já está em falta nas farmácias. Sem testes em humanos diagnosticados com a Covid-19 até hoje, o medicamento é também alvo de uma série de manifestações de especialistas contrários ao uso sem indicação médica.

    > Protocolo com ivermectina e cloroquina é irresponsável, dizem pesquisadores da UFSC

    Presidente da Federação Nacional dos Farmacêuticos (Fenafar) e ex-presidente do Conselho Nacional de Saúde, o catarinense Ronald Ferreira dos Santos diz que a entidade é "absolutamente contrária" ao que chamou de "espetacularização" do remédio:

    - É algo sem base na ciência, sem evidências, para validar uma discussão de que é uma gripezinha, que tem remédio e por isso as outras medidas não são necessárias. Nós [Fenafar] acionamos o Supremo Tribunal Federal contra o Ministério da Saúde para enfrentar essas indicações. Isso é um absurdo, lidar com o sofrimento das pessoas com ilusões, é quase um charlatanismo. Não há evidência alguma [sobre a ivermectina contra a Covid-19], se há alguma evidência é de que faz mais mal do que bem.

    > Natalia Pasternak: coquetel de medicamentos com ivermectina é baseado em medicina fantasiosa, não em ciência

    A crítica enfática de Santos segue a mesma linha da manifestação da Associação Brasileira de Ciências Farmacêuticas (ABCF), composta por pesquisadores do país inteiro.

    Por meio de comunicado, a entidade ressalta que a ivermectina ainda não foi pesquisada em humanos com Covid-19 e "pode provocar efeitos colaterais severos se administrada com cloroquina e hidroxicloroquina".

    > Nenhum estudo comprova ivermectina eficaz contra coronavírus, alerta infectologista

    Conforme a ABCF, em doses baixas a ivermectina pode trazer com pouca frequência efeitos colaterais como dor muscular ou nas articulações, tonturas, febre, dor de cabeça, febre, agravamento de casos de asma e elevação da frequência cardíaca. No entanto, doses altas podem aumentar esses efeitos, e a combinação com remédios como cloroquina e hidroxicloroquina pode trazer outros efeitos mais severos, como rabdomiólise (síndrome que causa destruição de fibras musculares esqueléticas e pode provocar insuficiência renal) e intensa mialgia (dor muscular).

    > Para ficar em casa: confira a receita de chocolate quente cremoso para fazer durante isolamento social 

    Para o presidente da Fenafar, o uso de medicamentos contra a Covid-19 sem indicação de um especialista pode causar mais problemas ao paciente, além de influenciar na efetividade de outras medidas mais importantes - como o distanciamento social e o uso de máscara.

    - Ao usar um remédio sem a necessidade, você só vai ficar com os efeitos adversos, sem os benefícios. O advento dessas soluções mágicas vai na contramão de enfrentar a pandemia. Todos os estudos apontam que o que é efetivo no combate a pandemia é o distanciamento social, identificar os casos, colocar em quarentena, tratar os sintomas. Essa é a forma como se tem notícias de ser possível enfrentar a pandemia. Em Santa Catarina, onde o momento é de curva ascendente dos casos, trazer esses elementos e estimular esses medicamentos é assustador - opina Santos.

    > Presidente Jair Bolsonaro testa positivo para coronavírus

    Vermífugo é usado para tratar piolhos

    A ivermectina é um vermífugo indicado para o tratamento em humanos de parasitas e piolhos, e que vem sendo um dos medicamentos já existentes pesquisados no combate ao novo coronavírus. A publicidade em cima do remédio surgiu após resultados positivos da Universidade Monash, na Austrália, onde pesquisadores atestaram a eficácia da ivermectina contra o coronavírus em testes in vitro.

    Todos os resultados até agora, no entanto, foram em células dentro de laboratórios. Conforme a própria universidade, ainda não há informações suficientes sobre o uso do vermífugo em humanos com covid-19 - e essa é a fase seguinte da pesquisa, que está em curso. Antes de resultados confiáveis em pessoas, a automedicação com a ivermectina não é recomendada para pacientes com sintomas ou na forma de prevenção.

    > SC registra semana com mais mortes por Covid-19 desde o início da pandemia

    A Sociedade Brasileira de Infectologia publicou uma nota pública em que alerta sobre a prescrição de substâncias que ainda não foram suficientemente testadas contra a Covid-19. “Muitos dos medicamentos que demonstraram ação antiviral in vitro (laboratório) não tiveram o mesmo benefício in vivo (seres humanos). Só estudos clínicos permitirão definir seu benefício e segurança na covid-19".

    Em Balneário Camboriú, a adoção do protocolo de tratamento com a ivermectina e outros remédios gerou atritos entre alguns médicos, e pelo menos três teriam se afastado do comitê que coordena as ações de combate ao coronavírus na cidade. O caso fez o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) enviar ao CRM um questionamento sobre a mudança no modelo de atuação. A promotoria afirma haver indícios de que a alteração de protocolo em Balneário Camboriú pela prefeitura tenha “influência religiosa e política”.

    > De cloroquina à molécula do Viagra, vários medicamentos estão em teste contra o coronavírus

    > Em site especial, saiba tudo sobre o novo coronavírus

    Correção: na publicação dessa matéria, foi informado que a ivermectina não havia sido testada em humanos. A frase não deixa claro que o medicamento é aprovado para uso em outras condições clínicas, mas não foi certificado para o uso contra a Covid-19. A informação foi retificada e o texto atualizado.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas