nsc
dc

Educação

Volta às aulas em SC: datas, medidas de prevenção e tudo que você precisa saber

Escolas terão regras sanitárias contra Covid-19 e três modelos de ensino diferentes

03/02/2021 - 04h28 - Atualizada em: 05/02/2021 - 15h47

Compartilhe

Clarissa
Por Clarissa Battistella
Fernanda
Por Fernanda Mueller
Lucas
Por Lucas Paraizo
Escolas terão ensino presencial, remoto e misto
Escolas terão ensino presencial, remoto e misto
(Foto: )

Depois de quase um ano sem atividades presenciais por conta da pandemia do coronavírus, alunos das redes pública e privada de Santa Catarina começaram a voltar às aulas a partir dos primeiros dias de fevereiro. As escolas contam com três modelos de ensino definidos — totalmente presencial, totalmente on-line e misto — e regras sanitárias estabelecidas por, pelo menos, um semestre.

> Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

Entre as mudanças do novo ano letivo, estão o uso de máscaras e o distanciamento de 1,5 metro em todos os ambientes. Os abraços e as aproximações comuns do retorno à escola também precisam ser evitados.

Em caso de surto de Covid, as escolas que estiverem no modelo 100% presencial ou misto passam para o 100% remoto durante 14 dias. Por esse motivo, a Secretaria de Estado de Educação (SED) destaca que todos os sintomas de alunos dentro e fora da escola devem ser avisados à equipe gestora da instituição, que fará o contato com os órgãos sanitários.

> Volta às aulas em SC: como as escolas atuam para a retomada das atividades presenciais

Datas

Em algumas escolas da rede particular de ensino de SC, nos municípios de Florianópolis e Chapecó, as aulas presenciais retornaram na segunda-feira (1º). As escolas dos demais municípios retornam entre os dias 8 e 9 de fevereiro, conforme o Sindicato das Escolas Particulares de Santa Catarina (Sinepe/SC), que representa as 1.300 unidades privadas de SC.

> “Alunos devem vir com máscara de casa”, diz secretário de educação de Joinville

O sindicato acredita que todas as escolas devem oferecer o modelo híbrido, que intercala aulas presenciais e remotas, conforme as necessidades e interesses de cada família. A maioria das escolas deverá oferecer ambas as escolhas — atividades à distância e na escola. As regras sanitárias serão seguidas conforme estabelece a normativa do Estado.

Nas redes municipais, cada prefeitura tem a liberdade para decidir a data de retorno. Blumenau e Joinville, por exemplo, voltarão a receber os alunos nesta segunda-feira (8), em modelos que respeitam o distanciamento social e as regras sanitárias estabelecidas. Em Florianópolis o ano letivo começa na quarta-feira (10), porém de forma 100% digital. Os alunos vão voltar para a sala de aula somente daqui um mês, no dia 10 de março, em modelo misto.

Nas escolas públicas estaduais, as aulas iniciam no dia 18 de fevereiro. Segundo SED, ainda não estão definidas quais escolas retornarão com formato 100% presencial, porque os pais têm até o dia 12 de fevereiro para assinar o termo de responsabilidade, caso queiram manter seus filhos no ensino remoto durante o primeiro semestre.

No ensino superior, já houve retorno das aulas para os cursos de graduação presencial. Na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), as atividades voltaram no dia 1º de fevereiro. Devido à pandemia, no entanto, a instituição manteve as aulas remotas.

> Dois em cada três alunos da rede pública de Blumenau vão retornar às escolas na volta às aulas

Modelos educacionais

Os formatos definidos pelo governo estadual incluem ensino 100% presencial, 100% on-line e misto, a depender da infraestrutura de cada escola e que poderão ser aplicados ao mesmo tempo.

> Entenda como ficam os formatos presencial, on-line e misto

Modelo tradicional: com todos os alunos presentes na sala de aula, assim como os professores, será aplicado somente nas escolas que dispuserem de salas com infraestrutura adequada para realizar o distanciamento de 1,5 metro exigido entre as carteiras dos alunos.

Modelo misto: deve incluir o maior número de alunos da rede estadual e da rede privada. Va funcionar com a alternância dos grupos que frequentam a escola e dividido em dois momentos: o “Tempo Escola” e o “Tempo Casa”. O atendimento presencial deve ocorrer de duas a três vezes por semana nos anos iniciais e semanalmente nos anos finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio.

Totalmente on-line: continua em 2021 para os cerca de 28 mil alunos da rede estadual que, comprovadamente, fazem parte de grupo de risco para Covid-19, assim como os professores.

> Pesquisas sobre Covid-19 colocam UFSC em destaque durante a pandemia

Cuidados nas escolas

Não pode abraçar, nem sentar do lado. É preciso respeitar distância de 1,5 metro entre as classes, na sala de aula, mas o distanciamento deve ser o mesmo durante os intervalos e no horários das refeições. O espaço seguro para evitar a contaminação deve ser o mesmo em todos ambientes.

Além disso, o uso de máscara é obrigatório, assim como a higienização das mãos com álcool em gel na entrada dos estabelecimentos e distribuídos pelo ambiente.

Além disso, estudantes e servidores que se enquadram nos grupos de risco para a Covid-19 devem ser mantidos em atividades remotas.

> Desigualdade regional é tema da redação do Enem digital

As bibliotecas abrirão com redução de público: entre 50% a 75%, a depender do nível risco de cada região. O mapa que aponta a situação do coronavírus é atualizado semanalmente pelo governo estadual.

Se uma escola estiver em região com nível grave para coronavírus, por exemplo, e a situação piorar para gravíssima (em vermelho, no mapa do Estado), a escola deve tomar providências seguras — previstas no Plano de Contingência Escolar — para evitar surtos entre os estudantes. Cada escola tem seu próprio planejamento e os pais podem solicitar aos educandários.

Leia também

Concursos públicos em SC: veja vagas abertas em fevereiro, salários e como se inscrever

Professora que mobilizou campanha de doações morre no Sul de SC

Fevereiro deve ser de chuva e calor em Santa Catarina

Colunistas