nsc
nsc

Pandemia

Estudo do Ipea mostra que SC não reagiu para conter mortes por Covid

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
28/04/2021 - 10h52
Movimento em Balneário Camboriú durante o Carnaval, em fevereiro
Movimento em Balneário Camboriú durante o Carnaval, em fevereiro (Foto: Luiz Carlos Souza, Arquivo NSC)

Um levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), órgão ligado ao Ministério da Economia, compara o nível de medidas restritivas adotadas pelos estados no início da pandemia no Brasil, em em abril do ano passado, com a resposta dada ao momento mais crítico vivido no país, em março de 2021. Em Santa Catarina, o estudo comprova que o Estado não reagiu proporcionalmente à chegada da segunda onda e ao aumento no número de óbitos.

> SC supera marca de 2 mil mortes por covid-19 em abril

O comparativo leva em conta as medidas legais de isolamento social – os decretos estaduais – e o grau de rigor com que eles atingiram atividades como grandes eventos, comércio não essencial, bares e restaurantes, escolas, transporte público e atividades industriais não essenciais.

Em Santa Catarina, o estudo do Ipea deu nota 7,3 para as restrições em abril de 2020. A avaliação baixou para 3,6 em março de 2021, com redução de 51% nas medidas restritivas – a terceira maior discrepância, atrás apenas de Roraima e Rio de Janeiro. O número de mortes foi inversamente proporcional: 44 em abril do ano passado, contra 3.394 em março de 2021.

> Santa Catarina passou de exemplo para vergonha nacional no combate ao coronavírus

Menos decretos para mais óbitos
dados ipea
(Foto: )

Gráficos produzidos pelo Ipea mostram que as medidas restritivas (em preto) ficaram distantes da elevação no número de óbitos no Estado.

Decretos, em preto, e óbitos em vermelho
Gráfico Ipea
(Foto: )

Outra representação indica o quanto os decretos interferem no índice de isolamento social.

Decretos, em preto, e isolamento social em vermelho
Ipea
(Foto: )

- Antes da primeira onda, SC teve as medidas mais rígidas do país. Elas começaram a ser relaxadas, mas algumas (medidas) importantes continuaram, como a suspensão do transporte intermunicipal, que SC fez e outros estados não fizeram. Mas o que aconteceu foi um relaxamento excessivo, e agora, na segunda onda, não houve uma reação como em outros lugares em termos de enrijecimento das medidas – diz o pesquisador Rodrigo Fracalossi de Moraes, responsável pelo levantamento do Ipea.

> 12 cidades de SC estão sem casos ativos de Covid-19; veja a lista

Segundo ele, os dados permitem observar que SC enveredou por um caminho diferente de estados como Ceará, Espírito Santo e Acre, onde o aumento no número de casos de Covid-19 disparou uma série de medidas mais restritivas, para tentar conter as infecções.

Também chamou atenção de Moraes a opção do Estado de criar um modelo de classificação de risco, mas terceirizar aos municípios o cumprimento das regras, e não de forma obrigatória – como é o mapa de risco, que não consegue retratar a realidade da pandemia. Segundo ele, a falta de organização prejudica a resposta do governo à pandemia.

- Uma das dificuldades que alguns estados tiveram foi não ter plano organizado e abrangente de distanciamento social, parecido com o do Rio Grande do Sul, São Paulo, do Acre. Vários estados têm um plano desse tipo. Em SC o plano foi feito mas bem depois, em julho, e não é abrangente e obrigatório. A política foi ficando muito fragmentada, nas mãos dos municípios. Comparado com outros estados, foi um dos que ficou com a política muito fragmentada – avalia o pesquisador.

> Mapa Covid de SC hoje: veja em mapa e dados por cidade como está a situação da pandemia

> Calendário da vacina: veja dados da vacinação em cada município de SC no Monitor da Vacina

A recomendação do estudo, reforçada por Moraes em entrevista à coluna, é que o Estado adote um modelo adequado de gestão das medidas de isolamento social. A ideia é aumentar a força dos decretos estaduais, a regularidade e a previsibilidade das ações de contenção da pandemia, de acordo com o número de casos e óbitos por Covid-19.

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​

Leia também:

> A emocionante carta de despedida da filha ao pai que morreu de Covid em SC

Vacina da Pfizer: Florianópolis será a única cidade de SC que receberá o imunizante mais eficaz

​Elon Musk decidiu em Florianópolis que iria investir foguetes e revolucionar a corrida espacial​

Ex-ministro José Eduardo Cardozo diz que impeachment de Moisés foi "aberração"

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas