O governo enviará à Alesc em outubro o pacote de medidas para sanear a Previdência, que levará junto a proposta de revogação escalonada do desconto de 14% dos aposentados que recebem até três salários mínimos, até 2026. O modelo saiu dos estudos do Iprev, que desde o início do ano trabalhava em uma proposta para atender à promessa do governador Jorginho Mello (PL) de mexer no desconto. 

Continua depois da publicidade

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Herança da Reforma da Previdência do governo Moisés, o desconto de 14% virou um calo no sapato do governador e da própria Assembleia, que também é pressionada a modificar a regra.  

Antes mesmo de aportar na Alesc, o projeto do Iprev começa a sofrer pressão na Alesc. Autor de um projeto de lei que também mira no desconto de 14%, mas com a proposta de isentar todos os aposentados do Estado que recebem até o teto do INSS (pouco mais de R$ 7,5 mil), o deputado Fabiano da Luz (PT) apresentou dados comparativos na Assembleia. Apontou que seu projeto, assinado por outros 13 parlamentares, isenta 64% dos inativos, enquanto a do governo exime 16%.   

Fim do desconto de 14% dos aposentados do Estado entra na pauta da Alesc

Continua depois da publicidade

O governo, por sua vez, defende que a proposta do Iprev beneficiará em maior ou menor grau todos os mais de 70 mil inativos, já que os que recebem acima de três salários mínimos de aposentadoria terão desconto somente sobre o valor excedente. 

Hoje, cerca de 22 mil inativos ganham acima do teto do INSS. Na faixa de R$ 20 mil a R$ 30 mil, são 2,26 mil aposentados. Acima de R$ 30 mil, são 2,27 mil aposentados. 

Jorginho sinaliza revisão do desconto de 14% dos aposentados em mensagem de rede social

O debate já esquenta nos bastidores, e há parlamentares pendendo para todos os lados – inclusive a ala que defende que não se mexa no desconto, entendendo que a medida pode aumentar o déficit da Previdência, estimado em quase R$ 6 bilhões para este ano. O fato é que, nesse tipo de assunto, o caminho natural é chegar a acordo no texto enviado pelo governo. É o que deve ocorrer com o projeto. 

No pacotão da Previdência estarão medidas como a abertura de fundos imobiliários e a criação de um novo modelo de aposentadoria, com fundo de capitalização, para os próximos servidores que entrarem por concurso. A ideia é reduzir gradativamente o custo que o déficit da Previdência tem para os cofres do Estado. 

Continua depois da publicidade

Projeto de lei acaba com o desconto de 14% na aposentadoria dos servidores em SC

Salário entre poderes 

De acordo com dados do Iprev, é grande a diferença entre o valor das aposentadorias de cada poder. Dos servidores inativos do Estado, mais da metade (38,5 mil de 56,5 mil) ganha menos do que o teto do INSS, ou seja, até R$ 7,5 mil. Já na Assembleia Legislativa, 653 de 1.055 aposentados recebem acima de R$ 20 mil. No Tribunal de Contas, são 285 de 403 que ganham acima desse valor. A maior diferença é no Ministério Público, onde quase dois terços (197) de 403 ganham acima de R$ 30 mil. 

Leia mais:

Milionário iate clássico italiano desembarca no Brasil e será vendido em SC

A briga familiar de milhões pela construtora do “prédio do Neymar” em Balneário Camboriú

Arranha-céu com 500 metros de altura vai fazer Balneário Camboriú arrecadar como nunca

Balneário Camboriú terá nova onda de valorização imobiliária

Destaques do NSC Total