nsc
nsc

Portos

Portuários vão a Lula contra desestatização do Porto de Itajaí prevista por Bolsonaro

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
15/04/2022 - 13h26 - Atualizada em: 15/04/2022 - 15h49
Ex-presidente Lula em inauguração das obras de reconstrução do Porto de Itajaí, em 2010
Ex-presidente Lula em inauguração das obras de reconstrução do Porto de Itajaí, em 2010 (Foto: Ricardo Stuckert, Arquivo)

O processo de desestatização do Porto de Itajaí é um dos principais pontos levantados em uma carta entregue a Lula (PT) pelas federações de trabalhadores portuários. No documento, com data de quinta-feira (14), as entidades pedem compromisso do ex-presidente contra o modelo de concessão à iniciativa privada que vem sendo implantado pelo governo Bolsonaro.

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

A carta é assinada pela Federação Nacional dos Portuários (FNP), Federação Nacional dos Estivadores (FNE) e Fenccovib, que representa as categorias dos conferentes, consertadores, vigias, trabalhadores de bloco, arrumadores e amarradores de navios. No texto, as entidades manifestam preocupação com a desestatização da autoridade portuária – modelo que o governo federal pretende “estrear” em Itajaí.

Caixa para os portos é “zero”, diz secretário de Bolsonaro em audiência sobre o Porto de Itajaí

“Essa proposta do governo é uma cópia do modelo fracassado de privatização de portos australianos. E, desse modo, caso desestatizadas as autoridades públicas administradoras, semelhante ao modelo daquele país, poderá resultar no aumento de tarifas, restrições a concorrência portuária e redução de investimentos no médio e longo prazos”, alegam as federações.

A operação do Porto de Itajaí já é 100% privada, por meio de arrendamento. Mas o terminal tem, hoje, autoridade portuária municipalizada por delegação federal. A prefeitura vem requisitando a prorrogação da municipalização junto à Secretaria Nacional de Portos, sem sucesso. O prefeito Volnei Morastoni (MDB) pediu uma audiência com o presidente Jair Bolsonaro (PL) para tratar sobre o assunto.

SC vai passar RJ e se tornar o terceiro estado mais rico do Brasil com PIB per capita

A autoridade portuária responde pela administração do canal de acesso aos portos, e pela gestão de conflitos que envolvem as atividades no Rio Itajaí-Açu – porto, pesca, turismo e transporte de passageiros. Em mais de 90% dos portos no mundo, essa função é exercida pelo poder público como garantia de soberania e de defesa do interesse comum. 

Nesta semana a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) concluiu uma audiência pública, iniciada na semana passada, para discutir a proposta de desestatização apresentada pelo governo. A Secretaria Nacional de Portos defendeu o modelo escolhido, com entrega da autoridade portuária à administração privada. A previsão do governo é que o futuro concessionário invista R$ 2,6 bilhões no terminal após o leilão.

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz Leia mais​​​

Hang fica US$ 2 bilhões mais rico e volta ao topo da lista da Forbes no Brasil​​

Feito em SC, iate de R$ 50 milhões igual ao do CR7 tem fila de espera de 15 meses​​​

​Decreto de Moisés autoriza distribuição de absorventes nas escolas públicas de SC​

Novos caças Gripen milionários da FAB são rebocados pelas ruas de Navegantes

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas