nsc
nsc

Ensino

Agora é lei: proibida a linguagem neutra em escolas de Criciúma

Compartilhe

Denis
Por Denis Luciano
20/08/2021 - 14h46 - Atualizada em: 03/09/2021 - 13h58
Deputada Geovania, autora do projeto nacional, comemora sanção em Criciúma com o vereador Obadias
Deputada Geovania, autora do projeto nacional, comemora sanção em Criciúma com o vereador Obadias (Foto: Thiago Silva / Divulgação)

- Boa sexta a TODOS! -. Não é por acaso que o vereador Obadias Benones (Avante) postou assim em suas redes sociais na tarde desta sexta-feira (20) a saudação aos seus seguidores junto à notícia da sanção, pelo prefeito Clésio Salvaro (PSDB), da lei 7.942/21. De autoria do vereador, a lei proíbe o ensino da linguagem neutra de gênero em escolas de Criciúma. - Aqui, não! - frisou o parlamentar.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

A pauta foi votada na sessão do último dia 3 e aprovada na Câmara por 14 votos a 1. - Elu, delu, francamente, não é falta de respeito. Não é discurso de ódio nem de homofobia. Estamos aqui para pautar e defender o aprendizado - justificou Obadias, na ocasião. - Estamos protegendo a nossa língua. Esse é um fenômeno que está vindo aí que nos preocupa muito - emendou. 

Vereador Obadias com o prefeito Salvaro
Vereador Obadias com o prefeito Salvaro
(Foto: )

Para o vereador, a defesa da linguagem neutra "não vem para incluir, o discurso é de uma minoria". - Esse uso da nossa língua é uma agressão - completou.

Inspiração para projeto federal

A deputada federal Geovania de Sá (PSDB) participou do ato de sanção da nova lei no Paço Municipal na manhã desta sexta. Ela lembrou que, alinhada ao projeto levado adiante em Criciúma, está propondo o tema em nível nacional.

- Protocolei na Câmara o projeto que veda a utilização da linguagem neutra em escolas de todo o Brasil. O projeto vai além, é uma defesa da língua portuguesa e a garantia de que os alunos aprenderão conforme as normas - justificou.

O prefeito comemorou a sanção da lei. - Sem questões relacionadas à ideologia de gênero e à linguagem neutra em nossas escolas - comentou Salvaro. A nova lei aplica a determinação à rede municipal de ensino, instituições de ensino superior instaladas em Criciúma e também nos concursos públicos da prefeitura. - Quem violar estará sujeito a sanções administrativas - pontuou o projeto, agora tornado lei.

Vereadores Salésio Lima, Miguel Pierini, Arleu da Silveira e o licenciado Miri Dagostim com a deputada e o autor
Vereadores Salésio Lima, Miguel Pierini, Arleu da Silveira e o licenciado Miri Dagostim com a deputada e o autor
(Foto: )

O autor do projeto, vereador em primeiro mandato, é jornalista e pastor evangélico. Também pastor, mas não da mesma igreja de Obadias, o vereador Jair Alexandre (PL) comentou, quando do debate na Câmara, que "o projeto protege as crianças". Para ele, os mesmos que defendem a linguagem neutra são os que quiseram implantar ideologia de gênero nas escolas. 

> Não-binarismo e linguagem neutra chamam atenção e provocam debate

Único voto contrário ao projeto, a vereadora Giovana Mondardo (PCdoB) argumentou que não há escolas ensinando linguagem neutra em Criciúma. - Concordo com a defesa da língua, mas devemos lembrar que o português é uma língua viva, que ajusta-se ao cotidiano - observou.

Confira os vídeos do NSC Total no YouTube

Leia também

> Investimento vai dar cara nova à Rodovia Alexandre Beloli, em Criciúma

> Festa com público para comemorar os 30 anos de Cocal do Sul

> Delegado e suplente de deputado do Sul bate na reforma da Previdência

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Mais colunistas

    Mais colunistas