O Criciúma perdeu, mas os olhos já estavam no próximo fim de semana. É que o Tigre será Santa Catarina na disputa pelo acesso à Série B do Campeonato Brasileiro no Grupo C da segunda fase da Série C. A despedida da primeira fase neste sábado, 2 a 1 para o Figueirense no estádio Orlando Scarpelli, foi protocolar.

Continua depois da publicidade

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

O Tigre, quarto colocado do Grupo B com 30 pontos, vai para o Grupo C, ao lado de Paysandu, Ituano e Botafogo da Paraíba. 

– Todos adversários muito difíceis – avalia o técnico Paulo Baier. – Principalmente se voltar a torcida, teremos muita dificuldade fora de casa, jogar lá com Paysandu, com Botafogo, são times de massa, é difícil jogar lá. Por isso que o nosso torcedor tem que nos ajudar também – observa.

O Criciúma confia na real possibilidade de contar com torcida no estádio nesta fase, que começará nos dias 3 e 4 de outubro. – É 99% certo que vai voltar. Estamos aguardando a CBF se manifestar até segunda-feira. Eles estavam só esperando definir todos os classificados. Mas estamos muito confiantes que poderemos receber a nossa torcida nessas três decisões – aposta o presidente Anselmo Freitas.

Continua depois da publicidade

Paulo Baier confia que a torcida vai fazer a diferença na briga pelo acesso
Paulo Baier confia que a torcida vai fazer a diferença na briga pelo acesso (Foto: Celso da Luz / Criciúma EC)

A estreia do Tigre na segunda fase será em casa, contra o Paysandu. Na segunda rodada, visita o Ituano em Itu. Na terceira, volta ao Heriberto Hülse para receber o Botafogo. No returno, começa devolvendo a visita ao Botafogo em João Pessoa, na Paraíba. Depois, recebe o Ituano e fecha em Belém diante do Paysandu.

> Figueirense e LA Sports não seguirão juntos em 2022

– A gente já tem um time bom, competitivo. Se o torcedor estiver do nosso lado, estaremos mais fortes ainda – afirma Baier. 

O diferencial que vem das arquibancadas

O técnico do Tigre acredita no diferencial que a torcida no Heriberto Hülse representará em busca do acesso. Os dois melhores de cada grupo da segunda fase subirão para a Série B. – Agora é outro campeonato. A gente vai pegar times de massa, como nós também temos o nosso torcedor. Agora é momento do torcedor abraçar, a torcida voltar, a nossa torcida é muito forte, vai nos ajudar muito – refere.

Baier já adverte o torcedor, da necessidade de manter o apoio nos 90 minutos nos jogos em casa contra Paysandu, Botafogo e Ituano. – Quero aquele torcedor que ajude, que seja dos 90 minutos. Mesmo perdendo ou empatando, ele incentivando, apertando o adversário. Se perder, daí pode cobrar. Mas no jogo o torcedor vai voltar e nos incentivar, agora é momento decisivo e precisamos de todo mundo – registra.

Continua depois da publicidade

Paulo Baier gostou da campanha na primeira fase, embora o Tigre tenha garantido a vaga com apenas 1 ponto de vantagem em relação ao Figueirense, que terminou em quinto no Grupo B com 29 pontos. – Eu estou muito satisfeito, lógico que os altos e baixos são normais numa competição tão difícil. O Criciúma classificou, e esse era o objetivo. Com muita dificuldade no início, muito trabalho e dedicação de todos – avalia.

Se em casa o Criciúma vem sendo soberano (ganhou 8 vezes e empatou 1), fora a campanha é problemática. O Tigre ganhou apenas 1 vez (1 a 0 em Erechim, contra o Ypiranga), empatou 2 e perdeu 6. – Pra subir, vamos ter que somar fora também né. É jogo a jogo. Já joga a primeira em casa, tem que fazer o resultado – calcula Baier.

Figueirense ficou apenas 1 ponto atrás do Criciúma
Figueirense ficou apenas 1 ponto atrás do Criciúma (Foto: Celso da Luz / Criciúma EC)

No jogo deste sábado contra o Figueirense, o volante Jessé perdeu um pênalti no primeiro tempo, quando o placar ainda estava em 1 a 0 para o alvinegro. – Ele é o nosso batedor de pênaltis. Na Copa do Brasil ele bateu o primeiro pênalti. Ele mudou o jeito de bater, não é do jogo que ele bate. Logicamente não pode errar, eu cobrei, pênalti tem que ter concentração, tem que fazer – comenta o técnico tricolor.

> Prefeitos de SC gastaram menos do que deveriam em educação

No segundo tempo, o meia Dudu Figueiredo fez um belo gol para o Tigre, fechando o placar em 2 a 1. 

Em paralelo, o Criciúma está disputando a Copa Santa Catarina, com o objetivo de conquistar o título e a vaga na Copa do Brasil de 2022. O Tigre estreou perdendo em casa, 2 a 0 para o Hercílio Luz, e depois recuperou-se ganhando do Juventus, 2 a 0 em Jaraguá do Sul na última quarta-feira (22). Na próxima quarta (29), o Criciúma visitará o Caçador.

Continua depois da publicidade

> Por que Santa Catarina puxa a fila de empregos em meio à pandemia

– A gente vai mesclando na Copa. Está muito cedo ainda, queremos sempre estar vencendo. O foco, todo mundo sabe, é a Série C, é o ponto que queremos para colocar o time na Série B. Tem que saber administrar isso – finaliza Baier.

Leia também:

> SC tem três regiões no menor risco para Covid pela primeira vez

> Documentário mostra o drama de quem vive ao lado da BR-470

> Bolsonaro ignora SC em investimento para 2022

Destaques do NSC Total