nsc
nsc

ELEIÇÕES 2022

Via bolsonarismo, o renascimento do PTB em Santa Catarina

Compartilhe

Denis
Por Denis Luciano
05/08/2021 - 09h33
Depois de Kennedy, PTB deverá ganhar mais três deputados estaduais em SC
Depois de Kennedy, PTB deverá ganhar mais três deputados estaduais em SC (Foto: Rodolfo Espinola / Agência AL)

Depois de um certo ostracismo - não tinha bancada em Santa Catarina até meados de junho - o PTB mostra sinais de retomada com força. Após confirmar a filiação do deputado Kennedy Nunes, pré-candidato a senador e recém saído do PSD, o partido já alinhava a adesão de ao menos outros três deputados estaduais, todos oriundos da histórica eleição do PSL em 2018.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Dos três de saída do PSL que estão no radar do PTB, dois são da bancada do Sul: Felipe Estevão, com base em Laguna, e Jessé Lopes, de Criciúma. Além deles, a deputada Ana Caroline Campagnolo também está de malas prontas para o partido. Os três devem oficializar a migração em março de 2022, na abertura da janela. Estevão pretende concorrer a deputado federal, Jessé e Ana Campagnolo buscarão reeleição à Alesc, e Kennedy, que cumpre agenda na região de Criciúma nesta quinta-feira (5) estará em disputa majoritária.

- Hoje eu tenho um convite muito forte do PTB, nos abriu as portas para a gente começar a trabalhar a nossa base, nos deram autonomia na nossa região. Está com uma construção bacana com o Kennedy a senador, é uma grande viabilidade de a gente estar compondo - confirma o deputado Jessé.

Pai de Jessé assume PTB de Criciúma

O pai de Jessé, Júlio Lopes, ex-presidente da Fundação Cultural de Criciúma (FCC), foi convidado pelo deputado Kennedy e já assumiu a presidência do PTB criciumense para organizar a base visando a eleição do ano que vem. - Porém, a decisão do presidente Bolsonaro pode até nos conduzir a outras decisões - pondera Jessé. - Mas a princípio, hoje, tudo indica sim que estaremos no projeto do PTB - emenda.

O deputado descarta a possibilidade de uma adesão ao PP, caso o presidente opte pelo partido. - Eu nem cogito, é um partido que não nos daria liberdade e com certeza não me respeitaria. Preciso de um partido com liberdade para trabalhar, e o PTB hoje, com a nova formação, é uma casa muito mais interessante que o PP, que é fisiológico e tradicional. Não que o PTB não seja, mas está hoje com novas pessoas, novas ideias e o principal, aliado ao presidente Bolsonaro - reflete.

Jessé Lopes com um pé no PTB
Jessé Lopes com um pé no PTB
(Foto: )

Jessé conta que teve sondagens do PL e do Republicanos. A nova bancada do PTB dará sustentação à candidatura ao Governo do Estado que for avalizada pelo presidente Bolsonaro. - Sim, o partido para onde eu for precisa dar apoio incondicional ao presidente. E o nosso governador será aquele que o Bolsonaro indicar. Hoje, tudo indica que vá ser o senador Jorginho Mello - afirma.

O PTB já é contabilizado por Jorginho no arco de aliança encabeçada pelo PL e que deve respalda-lo, contando ainda com o PSL e o Patriota.

Leia também:

> Com base fiel, governo Moisés "passa o trator" na reforma

> "Forquilhinha será uma das cidades mais bonitas do Brasil" anuncia prefeito

> 3 milhões de veículos passam por mês nos pedágios da BR-101 Sul

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Mais colunistas

    Mais colunistas