nsc
nsc

CHEGA DE RACISMO!

Precisamos falar sobre consciência negra todos os dias

Compartilhe

Edsoul
Por Edsoul
20/11/2020 - 14h53
Consciência negra
Consciência é respeitar todas as etnias, mesmo que esse respeito não nos seja devolvido (Foto: Diorgenes Pandini / NSC)

Quando falamos que as celebrações da consciência negra são cada vez mais necessárias, não exageramos. É nesta data que a negritude reflete sobre as principais lutas e avanços que tivemos e estamos tendo. Zumbi dos Palmares é sim, exaltado e lembrado como símbolo de resistência e entendimento de protagonismo, um mártir genuinamente brasileiro, o rei de um povo. 

> Quer receber notícias por WhatsApp? Inscreva-se aqui

> Vídeo: amigo de homem negro morto em supermercado diz que 'ele gritava que não conseguia respirar'

Despertar para uma conscientização geral de que somos parte importante na edificação de um país é injeção de autoestima, é entender de uma vez por todas que não somos invasores, imigrantes ou responsáveis pelas atrocidades que nos submeteram. É sim tomar para si a responsabilidade por cada irmão e irmã, é prospectar a igualdade como, de fato, entendemos e deveria ser. Ter consciência negra é buscar os mais altos cargos, alcançar objetivos e avançar no intuito de que os próximos também prosperem. 

Consciência é respeitar todas as etnias, mesmo que esse respeito não nos seja devolvido. É preciso ser sábio, buscar na ancestralidade as estratégias que nos fizeram sobreviver e criar subterfúgios para amenizar o sofrimento em prol do sonho da redenção. 

> Vereadora eleita Ana Lúcia Martins sofre ameaça de morte e ataques racistas em Joinville

Refletir sobre como o igualitário deixará de ser um processo se faz cada vez mais necessário. Precisamos, de fato, entender que devemos ter postura de quem é dono do seu próprio nariz, deixar para trás os resquícios de submissão que nos impedem de evoluir. Não deveria ser cultural aceitar que as canetas legislativas, executivas e posições de decisão não nos pertencem.

> Consciência negra: entenda a diferença entre crimes de racismo e injúria racial e saiba como denunciar

Novembro está indo embora, e nós vamos mesmo falar de consciência negra somente ano que vem, daqui um ano? Há quem diga que a consciência "NÃO DEVE SER NEGRA", mas sim humana. Para estes que, lamentavelmente, ignoram a história, suas consequências e impedimentos, desejo que tomem tento e tornem as consciências HUMANIZADAS. Axé, Munkuiu, Kolofé, Motumbá!

Leia também:

Black Money: movimento favorece negócios de pessoas negras

Hackers invadem com ofensas racistas e homofóbicas debate virtual sobre direitos humanos em SC

"Racismo ameaça a vida das pessoas", diz vereadora atacada em Joinville

Casos de racismo expõem desafios para combater o preconceito em SC

Você tem direito: Lute contra a discriminação

Edsoul

Colunista

Edsoul

Edsoul sabe tudo o que rola nas comunidades de Floripa. Reivindicações, histórias de superação e serviços interessantes para galera.

siga Edsoul

Edsoul

Colunista

Edsoul

Edsoul sabe tudo o que rola nas comunidades de Floripa. Reivindicações, histórias de superação e serviços interessantes para galera.

siga Edsoul

Mais colunistas

    Mais colunistas