Com mais contratos de financiamentos para investimentos dos setores de agronegócio, turismo, inovação, energia limpa, infraestrutura e pequenas empresas, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) fechou 2023 com acréscimo de 73% no volume emprestado em Santa Catarina frente a 2022.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do NSC Total pelo Google Notícias

Segundo a instituição, empresas catarinenses contrataram R$ 1,93 bilhão no ano passado frente a montante de R$ 1,16 bilhão no ano anterior. Nos três estados da Região Sul, o banco somou a liberação de R$ 5,8 bilhões em empréstimos, um acréscimo de 32% frente aos R$ 4,4 bilhões de 2022.

De acordo com o presidente do BRDE, João Paulo Kleinübing, a instituição demonstrou o compromisso com o desenvolvimento sustentável e inclusivo de Santa Catarina ao apoiar projetos de diversos setores. Um dos esforços nos últimos dias do ano passado são os empréstimos para empresas afetadas pelas chuvas, numa parceira com cooperativas de crédito.  

– O BRDE espera continuar sendo um agente de transformação em 2024, oferecendo soluções financeiras adequadas às necessidades de cada cliente e de cada região do Estado – afirmou  Kleinübing.

Continua depois da publicidade

Quanto cada setor tomou emprestado

Um dos destaques do BRDE no ano passado foi como repassador de recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Alcançou 40% do total nacional somando R$ 317 milhões, uma marca histórica de recursos para pesquisa e desenvolvimento (P&D).  

Para pequenas empresas, o banco emprestou até 10 de janeiro R$ 106,2 milhões do total de R$ 150 milhões do Pronampe Emergencial SC, a linha de recursos para a enchente. O total de contratos chegou a 807 em 76 municípios, mas a maioria foi para o Vale do Itajaí e Oeste.

Para os microempreendedores individuais (MEIs), o BRDE emprestou em 2023 R$ 17,8 milhões, favorecendo 1.186 empresários. O valor médio emprestado ficou em R$ 15 mil para investimentos em capital de giro, compra de equipamentos, reformas e outras ações.

Tradicional cliente do BRDE, o agronegócio contratou R$ 213 milhões por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Foram 2,3 mil contratos, a maioria pelo Pronaf. Para prefeituras, o banco emprestou R$ 155 milhões e para o turismo, os empréstimos somaram R$ 569 mil.

Continua depois da publicidade

Na avaliação do diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito, Mauro Mariani, o BRDE cumpriu seu compromisso de parceiro de empresários, empreendedores, produtores rurais e também com instituições sociais. Utilizando os benefícios das leis de incentivos, o banco liberou no ano passado R$ 1,98 milhão para 43 projetos sociais.

Leia também

Programa oferece bolsas de até R$ 8,4 mil para pesquisadores em indústrias

Governo de SC inicia programa de renegociação de dívidas tributárias

Vinda de turistas para SC supera projeções, informa secretário

Destaques do NSC Total