nsc
nsc

Desastres naturais

Eventos climáticos elevam o pagamento de seguros em SC

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
01/03/2021 - 05h00
Em Florianópolis, o ciclone bomba derrubou árvores no Centro
Em Florianópolis, o ciclone bomba arrancou árvores no Centro (Foto: Leonardo Souza, Prefeitura de Florianópolis, divulgação)

O ciclone bomba de 30 de junho, tornados, vendavais e granizo foram eventos climáticos ocorridos em Santa Catarina e na Região Sul em 2020 que elevaram os pagamentos de indenizações por parte de seguradoras para cobrir danos à propriedade em imóveis, automóveis e empresas. A alemã HDI, uma das maiores seguradoras do segmento no país, recebeu no ano passado 11.830 comunicados de sinistros de SC, 145,3% a mais do que no ano anterior, quando foram 4.642. A Bradesco Seguros teve crescimento de 716% no número de chamadas emergenciais na Região Sul frente a 2019.

O que mais causou danos e colaborou para elevar os pagamentos das seguradoras foi o ciclone bomba. A HDI, por exemplo, recebeu em função desse evento 6.503 comunicados de sinistros dos três estados da Região Sul, que somaram mais de R$ 35 milhões em indenizações. No país, a empresa teve um total de 31.007 sinistros no ano passado e, desses, a maior concentração foi em julho, 8.638, em função do evento que afetou mais SC. No ano passado, a empresa registrou acréscimo de 41,87% no total de sinistros de property, como também são chamados esses seguros para propriedade. Para melhor atender SC durante o ciclone, a companhia acionou também suas equipes de outras regiões do Brasil.

Santa Catarina tem risco de enxurradas, alagamentos e deslizamentos, alerta Defesa Civil

Segundo a HDI, em 14 de agosto do ano passado, Santa Catarina foi afetada por temporais, com granizo, vendaval e interrupções na transmissão de energia. Naquele evento, Chapecó e Blumenau registraram 61% dos pedidos de atendimento. Foram 216 solicitações de seguro no Estado, somando R$ 894 mil em indenizações.

A Bradesco Seguros informou que no ano passado bateu recorde no número de atendimentos para os três estados do Sul. Foram 2.660 ocorrências, enquanto no ano anterior registrou 326. A companhia revela que desde o início das atividades em seguros para imóveis empresariais e residenciais na região, pagou um total de R$ 43 milhões em indenizações, dos quais R$ 16,7 milhões (38,8%) foram desembolsados em 2020, um ano com mais eventos climáticos.

Em função dos problemas climáticos, os três estados do Sul são os que têm maior índice de patrimônio segurado do país, informa a Bradesco Seguros, para quem esses problemas de clima vêm crescendo anualmente no Brasil. Para o superintendente executivo de Sinistro da Bradesco Seguros, Carlos Oliva, a expectativa é de que esses problemas de clima continuem e a realização de seguros visando proteção é a melhor alternativa para enfrentar imprevistos.

De acordo com a HDI,e em Santa Catarina, a maior parte dos pedidos de cobertura ano passado foram para vendaval, ciclone, tornado e granizo. Segundo o presidente da companhia, Murilo Riedel, é importante ter coberturas diversificadas para contar com proteção num maior número de situações.

Setor empresarial de SC se posiciona contra lockdown de 14 dias

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas