O segundo trimestre do ano foi de salto no lucro líquido da multinacional Engie Brasil Energia, com sede em Florianópolis. Ela encerrou esse período com lucro líquido de R$ 732,6 milhões, o que significa crescimento de 85,7% a mais frente ao mesmo período do ano passado. O lucro ajustado alcançou R$ 806 milhões, 56,8% mais do que nos mesmos meses de 2022. A companhia segue investindo alto no Brasil. Em parques eólicos, vai destinar R$ 14 bilhões até 2025.  

Continua depois da publicidade

Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

Conforme o balanço divulgado nesta terça-feira, a Engie registrou receita operacional líquida de R$ 2,61 bilhões no trimestre, com alta de 12,9% frente a do mesmo período do ano passado. O Ebitda ajustado chegou a R$ 1,79 bilhão, o que significa queda de -5,2% em relação ao do mesmo período do ano passado.

Investimentos de R$ 14,5 bilhões

A Engie tem programa de investimentos elevados para o período de 2023 a 2025. O total previsto soma R$ 14,5 bilhões para a continuidade de crescimento, informou o presidente e diretor de Relações com Investidores da companhia, Eduardo Sattamini. Desse montante, R$ 10,5 bilhões serão para geração renovável.

Continua depois da publicidade

Nesse plano de investimentos está o Conjunto Eólico Santo Agostinho, no Rio Grande do Norte. São 12 novas unidades geradoras já em operação comercial e 15 em fase de testes. Quando entrar em operação total, terá capacidade instalada de 434 MW.

Outro projeto, também no Rio Grande do Norte, é o conjunto fotovoltaico Assú Sol, que terá capacidade instalada de 750 MW. E outro investimento será em Gentio do Ouro, na Bahia. Lá, será instalado o conjunto eólico Serra do Assuruá, com 24 parques e geração de 846 MW. Nesse projeto, o Itaú Unibanco entrará com 12,34% do capital, somando R$ 1,0 bilhão.

Maior geradora de energia renovável

Um destaque neste balanço da companhia foi a conclusão da venda da Usina Termelétrica Pampa Sul, no Rio Grande do Sul, em 31 de maio, a única que ainda gerava a partir de carvão. O Complexo Jorge Lacerda, em Santa Catarina, também de geração térmica a carvão, teve a venda finalizada em outubro de 2021.

 Com isso, a empresa conseguiu concluir o plano de descarbonização e passou a se posicionar como a maior geradora de energia elétrica 100% renovável do Brasil. A Engie conta com cerca de 10 GW de geração de energia no Brasil e segue investindo em projetos de geração limpa.  

Continua depois da publicidade

– Nossa responsabilidade financeira, composta sobretudo pela alocação eficiente de capital, estratégia comercial antecipativa, gestão ativa dos custos e sólida geração de caixa representam nossa licença para crescer. Estamos atentos aos movimentos de mercado e conscientes de que essa disciplina, combinada com bem-sucedidas decisões de investimento para a diversificação e crescimento, é o que garante a sustentabilidade econômica da companhia – explicou Eduardo Sattamini.

De acordo com ele, a Engie segue comprometida com a prosperidade dos negócios, o respeito às pessoas e ao meio ambiente, maximizando impactos positivos da atuação de forma sistêmica.

Leia também

Varejista de SC inaugura três lojas sábado; uma em cidade do Vale

Porto de Santa Catarina bate três recordes de atividades em julho

Lide SC discute em Brasília avanços da gestão pública e privada para competitividade

Docol inaugura o Centro de Inovação Flow em Joinville

Arrecadação do governo de SC chega a R$ 3,8 bilhões em julho

Destaques do NSC Total