nsc
nsc

Corte no orçamento

Empresários de SC pedem "reação mais contundente" sobre verba das rodovias

Compartilhe

Evandro
Por Evandro de Assis
26/01/2022 - 09h00 - Atualizada em: 26/01/2022 - 17h37
BR-470 tem apenas R$ 81 milhões em 2022, que não dão nem para as desapropriações
BR-470 tem apenas R$ 81 milhões em 2022, que não dão nem para as desapropriações (Foto: Patrick Rodrigues, BD, Santa)

O veto do presidente Jair Bolsonaro (PL) a R$ 43 milhões previstos no orçamento da União para rodovias federais de Santa Catarina foi recebido com indignação por empresários. A Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc) publicou nota em que diz esperar “reação mais contundente dos nossos representantes políticos” para obter uma compensação vinda de Brasília. O Fórum Parlamentar Catarinense marcou audiência com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

> Receba notícias de Blumenau e região direto no Whatsapp.

O presidente da Facisc, Sérgio Rodrigues Alves, chamou de “decepcionante” o corte que atinge estradas importantes para o desenvolvimento catarinense. Ele citou um documento produzido pela entidade nas eleições de 2018 que elencava mais de 700 demandas do setor empresarial — 47% delas relacionadas à infraestrutura.

A redução na previsão de verbas atingiu a duplicação da BR-470, além de obras nas BRs 280, 163 e no trecho antigo da BR-101 em Araranguá. Foi o segundo corte orçamentário em menos de dois meses. No fim de novembro, o Ministério da Economia havia tirado das BRs 470 e 163 quase R$ 40 milhões. Àquela época, a Facisc publicou uma nota de repúdio em nome das 149 associações que representa.

Em dezembro, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, sinalizou que as verbas seriam devolvidas no orçamento de 2022. Ele afirmou que as duas rodovias tinham "recursos sobrando". Até o momento, a promessa não foi cumprida.

Em reunião com a superintendência do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) em Santa Catarina, a deputada Ângela Amin (PP), presidente do Fórum Parlamentar Catarinense, disse ter ouvido que o andamento das obras está assegurado com o dinheiro orçado para 2022. Ela concedeu entrevista à rádio CBN Diário na terça-feira (25). Uma conversa com o ministro Tarcísio foi agendada para o dia 8 de março.

Desapropriações

No caso da duplicação da BR-470, que perdeu R$ 18 milhões no orçamento de 2022, os R$ 81 milhões restantes mal pagam metade das desapropriações pendentes, estimadas em R$ 150 milhões. A maior parte delas está nos lotes 3 e 4, entre Blumenau e Indaial, os mais atrasados.

O governo de Santa Catarina assinou um termo de cooperação com o DNIT que prevê o investimento de R$ 465 milhões em rodovias federais catarinenses. Só a BR-470 tem R$ 300 milhões à disposição. Mas o dinheiro não pode ser usado para desapropriações.

Receba textos e vídeos do colunista Evandro de Assis direto no WhatsApp. Basta clicar aqui.

Confira os vídeos do NSC Total

Leia também

Orçamento da BR-470 em 2022 não paga nem as desapropriações pendentes

Bolsonaro veta R$ 43 milhões do orçamento para rodovias de SC

Vereadores de Blumenau farão sessão extraordinária no meio do recesso

Quem combate a fiscalização de trânsito faz apologia da morte

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Mais colunistas

    Mais colunistas