nsc
nsc

Trânsito

Multas por câmeras em Blumenau representam menos de 1% do total

Compartilhe

Evandro
Por Evandro de Assis
31/01/2022 - 06h41
Números são coerentes com o discurso oficial em defesa da central de monitoramento
Números são coerentes com o discurso oficial em defesa da central de monitoramento (Foto: Patrick Rodrigues, BD, Santa)

As multas emitidas com o auxílio das câmeras da Central de Controle Operacional (CCO) de Blumenau representam apenas 0,8% do total de infrações registradas na cidade. Entre o início da fiscalização remota, em março de 2019, e outubro do ano passado, 898 mil notificações de trânsito foram emitidas. Destas, 7.197 partiram dos monitores instalados no primeiro andar da prefeitura. Os dados são da Secretaria de Trânsito e Transportes.

> Receba notícias de Blumenau e região direto no Whatsapp.

Os motoristas de Blumenau correm risco muito maior de receber multa por obra das monitoras da Área Azul do que das câmeras espalhadas pela cidade — embora a multa propriamente dita não seja emitida pelas monitoras, mas pela autoridade de trânsito. Estacionar em desacordo com o sistema rotativo é, de longe, a infração mais comum da cidade.

Bem depois vêm estacionamento em local proibido, não identificar o condutor responsável por infração, dirigir segurando o telefone e deixar de usar o cinto de segurança. Todas essas irregularidades flagradas de forma analógica.

Por meio das câmeras, os guardas flagram com maior frequência caminhões transitando em locais e horários com restrições, conversões irregulares, veículos que trancam cruzamentos ou que rodam sobre os corredores exclusivos de ônibus. Em resumo, a tecnologia serve para punir quem atrapalha o trânsito.

Os números são coerentes com o discurso do município em defesa da CCO. Há um esforço oficial para apresentar a central como ferramenta de gestão da mobilidade, desde o fornecimento de dados para planejamento urbano até a reação imediata a incidentes. O objetivo é separar o investimento de quase R$ 15 milhões nos equipamentos e softwares do persistente (e vazio) discurso contra a "indústria da multa".

Até o momento, a central tem funcionado como exemplo interessante de tecnologia aplicada à boa convivência no trânsito. Os agentes diante das câmeras priorizam o fluxo e punem quem o prejudica. É notável que o serviço tenha menor oposição em comparação com os radares eletrônicos, criticados como se máquinas inventassem infrações. A diferença, claro, está no número de pessoas flagradas.

Receba textos e vídeos do colunista Evandro de Assis direto no WhatsApp. Basta clicar aqui.

Leia também

Lei de Blumenau que proíbe radares portáteis é questionada na Justiça

Bolsonaro fala em recompor verbas de rodovias em SC: “Estão me esculhambando"

Ruas de Blumenau terão mais 50 faixas elevadas; veja quais

Polêmica sobre bônus a médicos de Blumenau provocou suspensão de sessão da Câmara

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Mais colunistas

    Mais colunistas