Um influenciador digital de extrema-direita, condenado na Alemanha por negar o holocausto, publicou vídeos sobre cidades de Santa Catarina em janeiro. Nikolai Nerling, que disse ao jornal O Globo estar no Brasil por medo de ser preso em seu país, esteve em Treze Tílias, no Oeste, Witmarsum e Pomerode, no Vale do Itajaí. Nos vídeos, ele aparece apagando pichações contra o nazismo — numa delas, Nerling colou adesivo que converte a mensagem em exaltação aos nazistas.

Continua depois da publicidade

> Monark é desligado de podcast após defender partido nazista

> Receba notícias de Blumenau e região direto no Whatsapp

Em Pomerode, o influenciador neonazista participou do Encontro de Fuscas, no início de dezembro. Também gravou vídeo em que aparece ao lado de um homem apagando pichações com a mensagem “FCK NZS” — do inglês, “fodam-se nazistas”. Em outra gravação, o próprio influenciador cola um adesivo com a palavra alemã “Wohlan” sobre as letras FCK. A mensagem alterada pode ser compreendida como: “Muito bem, nazis!” ou ainda “Vamos, nazis!”.

Em Pomerode, Nerling colou adesivo convertendo xingamento em exaltação a nazistas
Em Pomerode, Nerling colou adesivo convertendo xingamento em exaltação a nazistas (Foto: Reprodução)

O alemão também visitou cidades do Rio Grande do Sul e, no início de fevereiro, passou pelo Rio de Janeiro. O paradeiro dele no Brasil é desconhecido.

Continua depois da publicidade

As prefeituras de Pomerode e Treze Tílias informaram não ter recebido qualquer contato do influenciador durante a passagem dele por Santa Catarina. A prefeitura de Witmarsum não respondeu às tentativas de contato da coluna nesta segunda-feira (7).

> Ex-BBB Adrilles Jorge é demitido após suposta saudação nazista

Processos na Alemanha

Nikolai Nerling foi condenado na Alemanha por relativizar publicamente o holocausto a estudantes que visitavam o campo de concentração de Dachau, em 2018. No ano passado, ele perdeu uma apelação ao Tribunal Federal de Munique. Segundo a imprensa alemã, no dia 17 de dezembro a Corte Federal Constitucional da Alemanha também não reconheceu um recurso de Nerling, o que encerrou o caso. Ele deve pagar multa de 6 mil euros.

Por causa de mensagens consideradas antissemitas, revisionistas do holocausto e de teorias de conspiração, Nikolai Nerling teve acesso bloqueado a redes sociais como o YouTube.

Conforme reportagem publicada por O Globo no último sábado (5), o Ministério Público de Berlim tem vários inquéritos abertos contra ele. Nerling disse ao repórter Niklas Franzen temer ser preso caso retorne à Alemanha. O visto de turista do influenciador neonazista estaria prestes a vencer.

Continua depois da publicidade

Além dos problemas com as autoridades alemãs, o influenciador pode ser enquadrado na legislação brasileira antirracismo por vídeos publicados durante a visita ao país.

Receba textos e vídeos do colunista Evandro de Assis direto no WhatsApp. Basta clicar aqui.

Leia também

SC desativa 11 escolas estaduais antes do início do ano letivo

Existe obra federal em Blumenau mais atrasada que a duplicação da BR-470

Nova ciclofaixa de Blumenau exige atenção na volta às aulas

“Não estou satisfeito com o andamento das obras de SC”, diz Tarcísio Freitas

Destaques do NSC Total