nsc
nsc

Política

Ex-presidente da Dudalina apoiou movimento que diz confiar no voto eletrônico

Compartilhe

Pedro
Por Pedro Machado
11/08/2021 - 09h43 - Atualizada em: 11/08/2021 - 10h25
Sonia Hess aderiu ao manifesto Eleições Serão Respeitadas
Sonia Hess aderiu ao manifesto Eleições Serão Respeitadas (Foto: Tiago Ghizoni, BD)

A ex-presidente da Dudalina, Sonia Hess, endossou o movimento Eleições Serão Respeitadas, deflagrado na última semana por lideranças empresariais, políticas e religiosas, além de economistas e representantes da sociedade civil de todo o Brasil.

> Receba notícias de Blumenau e do Vale pelo WhatsApp

O manifesto (leia na íntegra abaixo) prega a realização e o respeito às eleições de 2022 e diz confiar na Justiça Eleitoral e no atual sistema de votação. Ele é uma resposta aos recentes ataques do presidente Jair Bolsonaro à confiabilidade das urnas eletrônicas.

Ex-presidentes e atual titular do TSE defendem o uso da urna eletrônica

Da lista de quase 270 signatários iniciais – o movimento ganhou força e as adesões cresceram desde então –, Sonia desponta como o nome de maior expressão do meio empresarial com origem no Vale do Itajaí.

Voto impresso: veja como funciona e entenda a polêmica

A lista ainda inclui nomes como Luiza Trajano (Magazine Luiza), Pedro Parente (ex-Bunge e Petrobras e atualmente no conselho da BRF) e José Galló (Lojas Renner), entre outros. O jornalista Lauro Jardim, de O Globo, informou nesta quarta-feira (11) que empresários que lideram o grupo se movimentaram para barrar a PEC do voto impresso, cuja proposta foi derrotada nesta terça (10) na Câmara dos Deputados.

Sonia construiu uma reputação de respeito à frente da camisaria fundada pelos pais em Luiz Alves, alçando a Dudalina a novos patamares ao apostar principalmente em uma linha feminina de camisas. Ao deixar a linha de frente após a venda da empresa, ela disse que gostaria de se dedicar mais a projetos sociais.

O que diz o manifesto

O Brasil enfrenta uma crise sanitária, social e econômica de grandes proporções. Milhares de brasileiros perderam suas vidas para a pandemia e milhões perderam seus empregos.

Apesar do momento difícil, acreditamos no Brasil. Nossos mais de 200 milhões de habitantes têm sonhos, aspirações e capacidades para transformar nossa sociedade e construir um futuro mais próspero e justo.

Esse futuro só será possível com base na estabilidade democrática. O princípio chave de uma democracia saudável é a realização de eleições e a aceitação de seus resultados por todos os envolvidos. A Justiça Eleitoral brasileira é uma das mais modernas e respeitadas do mundo. Confiamos nela e no atual sistema de votação eletrônico. A sociedade brasileira é garantidora da Constituição e não aceitará aventuras autoritárias.

O Brasil terá eleições e seus resultados serão respeitados.

Leia também:

Blumenau vai dar descontos para quem atrasou pagamento de impostos na pandemia

“Shopping” para pets muda paisagem em rua de Blumenau e ganha data de inauguração

Casamento de Bolsonaro com SC só tem sido bom negócio para o presidente

​Valorizada, Oktoberfest Blumenau vai cobrar caro da nova cervejaria oficial

​​​​​​Receba notícias e análises do colunista Pedro Machado sobre economia, negócios e o cotidiano de Blumenau e região pelo WhatsApp ou Telegram

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Mais colunistas

    Mais colunistas