nsc
    nsc

    Superação

    Dona Ivanir volta do Espírito Santo recuperada da Covid-19 e é a personagem da semana em SC

    Compartilhe

    Raphael
    Por Raphael Faraco
    03/05/2021 - 12h33 - Atualizada em: 03/05/2021 - 17h04
    D. Ivanir no hospital do ES ao receber alta
    D. Ivanir no hospital do ES ao receber alta (Foto: Elizangela Almeida, arquivo pessoal)

    Falei extamente isso no Jornal do Almoço de sábado (1) e no Bom Dia SC desta segunda (3), na NSC TV. O retorno da Dona Ivanir, depois de 56 dias no Espírito Santo (ES), é a notícia da última semana em Santa Catarina.

    > Veja como receber as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

    Ora, basta lembrarmos que entre os dias 3 e 9 de março o governo do Estado transferiu cinco pacientes para o ES. Todos com o quadro clínico delicado. Ela foi a única que sobreviveu.

    — Estou me recuperando bem, me sentindo bem. Principalmente por pensar que não ia mais mais voltar para casa e hoje estou aqui — disse emocionada à coluna.

    “Espero voltar a trabalhar”

    Ivanir Terezinha de Almeida de 70 anos é uma vencedora da pandemia. Ela foi atendida na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em Chapecó, transferida para a enfermaria em Mondaí, internada em uma UTI de São Miguel do Oeste, onde foi intubada, e levada para o Espírito Santo. 

    > SC libera eventos e casas noturnas com novas regras até 17 de maio; leia o decreto

    Percorreu mais de 2,1 mil quilômetros em 6 dias com 70% do pulmão comprometido na busca pelo melhor atendimento. 

    — Depois da UPA não lembro mais. Aí quando voltei do coma fiz muitas perguntas para entender o que estava acontecendo. Por que me levaram para tão longe, com pessoas diferentes, sotaque diferente? Todos foram muito queridos comigo.

    Dona Ivanir e os familiares no sábado (1)
    Dona Ivanir e os familiares no sábado (1)
    (Foto: )

    Dona Ivanir ficou um mês intubada. E o tratamento deu certo. No sábado (1) ela desembarcou em Chapecó e pôde, enfim, desfrutar do carinho da família. Era dia do trabalhador. Combina bem com uma das suas prioridades agora.

    — Sou taxista há 22 anos e espero voltar a trabalhar. Me recuperar bem para poder retomar a minha rotina — comentou.

    > Cirurgias eletivas em SC seguem suspensas

    Mas antes precisa superar a ausência do seo Luiz, namorado com quem se relacionava há 4 anos. Pegaram Covid-19 juntos. Ele não resistiu.

    E para ajudar a assimilar esta perda, chegou a pequena Cecília. Sim, Dona Ivanir foi para o Espírito Santo avó e voltou bisavó. No segundo dia de internação por lá, nascia aqui a sua primeira bisneta.

    — Já está com quase dois meses e eu ainda não conheci. Já que Deus me proporcionou essa nova vida, vou aproveitar ainda mais a minha família.

    A bisneta Cecília que D. Ivanir só conhece por foto
    A bisneta Cecília que D. Ivanir só conhece por foto
    (Foto: )

    Exemplo

    Não há como não se emocionar com esta história de vida. Em meio a mais de 400 mil perdas no país, a pandemia também nos dá exemplos de grandes vitórias. 

    Que certamente não irão diminuir o luto de tantas famílias. Mas nos ajuda a seguir. Nos dá ânimo para continuar acreditando que vale muito a pena um esforço a mais pela nossa saúde.  

    Veja o vídeo que ela gravou para a coluna

     Leia também:

    > Primeira remessa da Pfizer para Santa Catarina chega nesta segunda

    > Prefeitura de São José ignora reunião sobre cracolândia no bairro Campinas

    Mais colunistas

      Mais colunistas