nsc
    nsc

    Coronavírus

    Pandemia: seria a hora de parar com o futebol?

    Compartilhe

    Roberto
    Por Roberto Alves
    28/11/2020 - 07h00
    Há indícios de que a sequência do campeonato é irreversível. Mas, a que custo?
    Há indícios de que a sequência do campeonato é irreversível. Mas, a que custo? (Foto: Márcio Cunha, ACF, Divulgação)

    Estamos vivendo um momento de incerteza. Dúvida cruel. Continuar jogando com o crescimento assustador da Covid-19 em plena época de fim de ano ou parar, tomar decisões restritivas fortes e voltar já com a vacina circulando por aqui e possivelmente com mais segurança?

    > Quer receber notícias por WhatsApp? Inscreva-se aqui

    > Com mais 47 mortes por coronavírus, SC supera a marca de 3,6 mil óbitos

    Há indícios de que a sequência do campeonato é irreversível. Mas, a que custo Compreende-se o prejuízo enorme que uma paralisação causaria aos clubes, com os cofres já castigados. Por outro lado a vida. E quando se lembra da vida das pessoas que estão em jogo castiga-se apenas o futebol por ser o esporte mais popular.

    E o resto? Praias lotadas, baladas cada vez mais movimentadas, caminhadas sem máscaras, aglomerações de todos os tipos, enfim, só o futebol é lembrado. É que os clubes divulgam diariamente os testes realizados nos elencos. Os números têm assustado ultimamente e os questionamentos são feitos.

    > SC tem 13 das 16 regiões em risco gravíssimo para coronavírus

    Mas não resolverá punir apenas o futebol, enquanto não está havendo respeito às determinações das autoridades da saúde em outros segmentos sociais. Os clubes sabem que estão no prejuízo, não só financeiro, mas também técnico. Além da pandemia, as convocações para as Eliminatórias da Copa do Mundo estão destruindo alguns times, que são obrigados a usar times alternativos.

    Não há dúvida que o resultado final do campeonato vai passar pela pandemia, algo terrível que estamos vivenciando neste ano de 2020.

    Inédito

    Natal e 1º de janeiro em meio a jogos oficiais do Campeonato Brasileiro eu ainda não tinha visto. Sem festa? Alguém duvida que o jeitinho brasileiro não vai entrar em campo para burlar as determinações? O futebol será jogado com o clássico da Capital, no Estádio Orlado Scarpelli, por exemplo, no dia 26 de dezembro, em plena ressaca do Natal. Foi a forma que a CBF encontrou para poder manter o futebol em atividade e terminar o campeonato.

    > Cinco fatores que indicam agravamento da pandemia em Santa Catarina

    Reclamações 

    Os clubes aceitaram as regras da CBF, mas não há duvida de que vão protestar. Não só da pandemia, mas igualmente de convocações desnecessárias para a Seleção Brasileira. Tivemos algumas chamadas de atletas que não foram aproveitados e sabidamente apenas cumpriram protocolo. Mas, desfalcaram os clubes, onde são importantes. Está faltando critério à comissão técnica da Seleção Brasileira.

    > Avaí recebe o Confiança pela Série B em meio a onda de coronavírus

    Curva perigosa 

    Segundo as autoridades, estamos vivendo momento de uma possível segunda onda e próxima ao Verão. As pessoas não se dão conta disso e continuam vivendo como se nada houvesse. E a gente só houve críticas ao futebol, com a grande maioria achando que a CBF deveria parar o campeonato. A propósito, o futebol é o que ainda respeita as regras da saúde. Mesmo assim estamos assustados.

    > UTIs de Santa Catarina registram maior ocupação de toda a pandemia de coronavírus

    Fala a CBF

    Na última semana a CBF divulgou um relatório completo sobre a Covid-19 no futebol brasileiro. Por ele ficamos sabendo que mais de 47 mil exames foram feitos em 1,2 mil partidas disputadas. A positividade atingiu 1,7%. Os testes foram feitos nas séries A, B, C e D do Campeonato Brasileiro, além das competições de Aspirantes, Sub-20 e Sub-17. É um trabalho completo que fez a CBF estudar e analisar a situação. Por enquanto, decidiu seguir em frente.

    > CBN Diário chega ao FM com programação renovada

    Toque do Bob

    O clube que não tem hoje um grande elenco é o mais prejudicado com a pandemia. É preciso ter grupo, pois a situação vai demorar a se normalizar.

    É comum a cada rodada muitos jogadores testarem positivo em cima da hora, desfalcando os times. Quem não se preparou com um número razoável de atletas no elenco está com prejuízo garantido.

    Em 2021, o futebol catarinense tem tudo para voltar a ser representado na Série A do Campeonato Brasileiro. A campanha da Chapecoense é irrepreensível. Sofreu na última terça-feira a segunda derrota na competição e para o Cruzeiro, em casa.

    Naquele jogo, tomou o sétimo gol na competição, fruto de uma defesa sólida. Tem mais 45 pontos para disputar e precisa de mais 20 para conquistar o acesso.

    Há uma chance ainda viva também para o Avaí, que a cada rodada se aproxima do G-4. Por outro lado, na parte de baixo o Figueirense luta para sair do rebaixamento. Uma campanha irregular dos catarinenses este ano.

    A Série B do Brasileiro vive um momento de equilíbrio técnico, com vários times buscando o acesso à elite do futebol brasileiro.

    Neste momento ainda não é possível cravar nenhum time com a certeza da classificação. A Chapecoense é quem está com a melhor vantagem para chegar. Ainda assim tem jogo.

    Isso tem acontecido igualmente na Série A, onde o Flamengo passou a falsa impressão de que chegaria com folga, mas perdeu força com a saída do técnico Jorge de Jesus. Está em fase de recuperação.

    O Palmeiras parece ser a bola da vez, junto com o Atlético Mineiro. Embora quem está praticando o melhor futebol no momento seja o São Paulo.

    Leia também:

    Projeção do Estado aponta para escalada da curva de mortes por coronavírus em SC

    Especialista explica como se define a eficácia das vacinas contra a Covid

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas