nsc
    nsc

    OBRAS DO MATHIAS

    Após dez meses de trecho interditado, Via Gastronômica de Joinville deverá ter liberação nesta semana

    Compartilhe

    Saavedra
    Por Saavedra
    13/09/2020 - 19h12
    Interrupção na Visconde de Taunay para instalação de galeria iniciou em novembro
    Interrupção na Visconde de Taunay para instalação de galeria iniciou em novembro (Foto: Arquivo pessoal)

    A prefeitura de Joinville vai tentar liberar o trecho interditado na rua Visconde de Taunay ainda no início da semana, se clima colaborar. Os tapumes foram retirados, houve adequações na fiação subterrânea e a etapa agora é dar condições de tráfego no trecho entre Henrique Meyer e a Jacob Einsenhut. Os reparos na Visconde, conhecida também como Via Gastronômica, vão continuar mesmo com a liberação do trânsito, assim como já ocorreu na Jerônimo Coelho, outra via com impactos das obras do rio Mathias e ainda em recuperação dos estragos.

    > Em pedidos aos candidatos, Conselho de Turismo de Joinville defende concessão da Arena e Centreventos

    > Joinville e região chegam a dois meses em situação “gravíssima” de risco para coronavírus

    A interrupção do trânsito na Visconde por causa da galeria do Mathias começou em novembro do ano passado, mas a rua já tinha passando por obras nos meses anteriores por causa da realocação de redes. Os atrasos e transtornos nas obras motivaram protestos dos comerciantes do entorno.

    Os reparos na Visconde e na Jerônimo Coelho são emergenciais e visam apenas permitir a retomada do trânsito com condições de tráfego. A recuperação definitiva das ruas vai depender da conclusão de drenagem. Para a Jerônimo Coelho, há previsão de instalação de calçadão em trecho da rua, com permissão de passagem de veículos.

    O próximo espaço a passar por melhorias será a praça Nereu Ramos, na área central de Joinville e também afetada pela drenagem do Mathias. As obras de instalação da galeria subterrânea pararam em junho após impasse entre prefeitura e empreiteiras e o contrato foi rescindido no mês seguinte. A retomada de drenagem só deve ocorrer em 2021, após nova licitação. Se a obra não for concluída, a prefeitura corre o risco de ter de devolver os recursos já utilizados.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas