nsc
nsc

Mobilidade

Com histórico de duas décadas de atrasos, nova ponte de Joinville não tem data para licitação

Compartilhe

Saavedra
Por Saavedra
04/05/2021 - 10h31
Ponte está prevista para ligar as ruas Plácido Olímpio de Oliveira (foto) com Aubé
Ponte está prevista para ligar as ruas Plácido Olímpio de Oliveira (foto) com Aubé (Foto: Arquivo AN)

Com série de atrasos ao longo de mais de duas décadas, a ponte entre o Bucarein e o Boa Vista passou a ser chances de ser licitada ainda em 2021, após anúncio de repasse de R$ 9 milhões, feito pela governadora em exercício Daniela Reinerh nesta segunda-feira. Mas ainda não há definição de data. Neste momento, está sendo feita a avaliação sobre a altura da ponte, uma condição para permitir a navegabilidade. Na sequência, tem tese, estará pronta para a licitação. O projeto prevê 118 metros de extensão por 13 de largura, além de melhorias nas vias no entorno.

> Em Joinville, governadora Daniela Reinehr anuncia repasse para ponte

> Joinville analisa impacto em obras públicas do reajuste de 25% no asfalto

> Via Gastronômica de Joinville é desinterditada após passar por repavimentação

> Após suspensões, Joinville cancela licitação dos radares

> Receba notícias de Joinville e do Norte de SC por WhatsApp

O plano viário de 1973 previa mais ligações sobre o rio Cachoeira, ainda que não indicasse precisamente o ponto entre as ruas Plácido Olímpio de Oliveira e a Aubé. No final dos anos 90, Luiz Henrique passou a defender a obra, inclusive fazendo a previsão no plano de governo da reeleição, em 2000. Mas surgiram outras ligações depois, como a Mauro Moura e a sobre o Cachoeira na Max Colin com a Dona Francisca, esta já no governo Tebaldi.

Somente em 2009 seria assinado um convênio com o governo federal para a ponte da Aubé, mas o dinheiro não chegou a ser utilizado. Houve pendências com desapropriações. Mais adiante, o governo federal exigiu aval da Capitania dos Portos. Somente em 2015 surgiria uma nova fonte de recursos, o PAC da Mobilidade. Houve necessidade de mais estudos técnicos, contratados em 2019. E a ponte não saiu, apesar das recorrentes promessas do governo Udo Döhler.

A prefeitura de Joinville já vinha solicitando recursos ao Estado para construir a ponte. A obra ainda está no PAC da Mobilidade, mas não há dinheiro para bancar tudo. A Aubé acabou sendo escolhida porque é a mais adiantada para a licitação, em comparação com as pontes de Anêmonas e Nacar. Agora, será a vez de o governo Adriano Silva tentar encerrar o histórico de atrasos.

> Em 2021, duplicação da BR-280 terá apenas 20% do investimento ideal

> Com mais de cinco anos, continua cobrança pela recuperação da iluminação na Serra Dona Francisca

Jefferson Saavedra

Colunista

Saavedra

Jefferson Saavedra traz análises e notícias exclusivas dos assuntos mais relevantes do Norte catarinense, com foco nos bastidores de todos os temas que envolvem especialmente Joinville e região, como política, segurança, mobilidade, saúde e educação.

siga Saavedra

Jefferson Saavedra

Colunista

Saavedra

Jefferson Saavedra traz análises e notícias exclusivas dos assuntos mais relevantes do Norte catarinense, com foco nos bastidores de todos os temas que envolvem especialmente Joinville e região, como política, segurança, mobilidade, saúde e educação.

siga Saavedra

Mais colunistas

    Mais colunistas