nsc
nsc

Gestão fiscal

Em ranking, prefeitura de Joinville tem “nota” baixa em investimentos

Compartilhe

Saavedra
Por Saavedra
22/10/2021 - 08h43
No índice de gestão fiscal, a prefeitura de Joinville teve melhor desempenho em geração de receita própria
No índice de gestão fiscal, a prefeitura de Joinville teve melhor desempenho em geração de receita própria (Foto: Divulgação)

Embora ainda distante das melhores posições, a prefeitura de Joinville apresentou avanços no novo ranking de gestão fiscal elaborado anualmente pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). Em escala de zero a um, o município conseguiu 0,637 no atual levantamento, com base nas contas do ano passado. Em 2019, a pontuação havia sido de 0,554. No ranking nacional, Joinville ficou em 1.602º lugar. Os investimentos foram o indicador com pior desempenho.

> Concorrência de R$ 27,6 milhões em Joinville é suspensa pela quarta vez

​> ​Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

O Índice Firjan de Gestão Fiscal analisa os balanços de 5,2 mil prefeituras do País. O estudo leva em conta quatro indicadores para montar o índice. Joinville conseguiu a nota máxima em “autonomia”, critério que leva em conta a capacidade de geração de receitas a partir da movimentação econômica do próprio município, como os impostos municipais e os tributos ligados ao desempenho, como ICMS. Há os indicadores que analisam a liquidez (a capacidade de pagamento de débitos em relação à receita) e os gastos com pessoal.

Nos investimentos, apesar do crescimento em relação ao ano passado, Joinville ficou com pontuação 0,313, uma das mais baixas do País (4310º lugar no ranking nacional). Para alcançar a nota máxima, é preciso utilizar pelo menos 12% da receita nos investimentos, como obras.

A capacidade de investimentos de Joinville realmente é baixa, mas há uma situação a ser observada: na receita da prefeitura, entra também a receita patrimonial, formada pela rentabilidade das aplicações do Ipreville. No ano passado, representou quase 10% da receita da prefeitura. O recurso não pode ser utilizado pela prefeitura, mas “infla” a receita, diluindo o peso das despesas, inclusive de investimentos. Mas essa situação explica apenas parte da baixa capacidade de investimentos da prefeitura de Joinville: há, sim, necessidade de investir mais.

> Uma Joinville inteira morreu vítima do coronavírus em todo o Brasil

> Em live, Adriano Silva fala sobre vacinação e uso das máscaras

> Quantas pessoas em Joinville ainda não tomaram a primeira dose da vacina contra a Covid

> SPU autoriza ponte em Joinville; portaria impõe prazo para início e conclusão das obras

> Quanto custaria para asfaltar todas as ruas sem pavimentação em Joinville

Jefferson Saavedra

Colunista

Saavedra

Jefferson Saavedra traz análises e notícias exclusivas dos assuntos mais relevantes do Norte catarinense, com foco nos bastidores de todos os temas que envolvem especialmente Joinville e região, como política, segurança, mobilidade, saúde e educação.

siga Saavedra

Jefferson Saavedra

Colunista

Saavedra

Jefferson Saavedra traz análises e notícias exclusivas dos assuntos mais relevantes do Norte catarinense, com foco nos bastidores de todos os temas que envolvem especialmente Joinville e região, como política, segurança, mobilidade, saúde e educação.

siga Saavedra

Mais colunistas

    Mais colunistas