O Ministério Público Federal em Joinville está apurando se está ocorrendo demora nas perícias médicas do INSS, seja pela dificuldade de agendamento ou na realização dos procedimentos. A portaria publicada na semana passada pela Procuradoria da República em Joinville transformou procedimento preparatório aberto em novembro do ano passado em inquérito civil.

Continua depois da publicidade

> Nova lei em Jaraguá do Sul cria regra sobre recarga de veículos elétricos

​​> ​Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

Uma das primeiras providências da apuração do MPF é cobrar resposta a ofícios sobre o tema. O primeiro pedido de informações foi enviado em abril deste ano. O inquérito foi motivado por queixas de usuários de “dificuldade de agendamento” das perícias pelos sistemas disponíveis. O MPF também cita ainda a existência de ofícios ainda não respondidos pela Subsecretaria de Perícia Médica Federal.

No País, são mais de 380 mil agendamentos de perícia médica presencial à espera de atendimento, conforme levantamento do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário, em dado publicado pelo jornal “Extra” em julho. A expressiva maioria dos agendamentos era para a primeira perícia, na qual há avaliação se o benefício será concedido.

Continua depois da publicidade

> Falta de ciclofaixas em duas ruas previstas em plano motiva queixa em Joinville

> “Desfecho” sobre Código Florestal em Joinville ainda sem data

> Aplicativo de serviços públicos de Joinville vai começar pela iluminação

> Pedidos de vereadores de Joinville chegam a quase 600 lombadas e lombofaixas

> Por que projeto de multa para quem agendar vacina contra Covid e não comparecer está parado

Destaques do NSC Total