A liberação de faixa para a instalação de estações 5G em Joinville, anunciada na semana passada, antecipa em mais de dois anos o prazo de chegada da tecnologia, ainda que a oferta do serviço esteja na dependência do mercado (do interesse das operadoras). Em abril, Joinville passou a contar com lei municipal com regras para a instalação e operação de estações transmissoras, uma forma de agilizar o licenciamento para o avanço da infraestrutura da tecnologia.

Continua depois da publicidade

Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

Pelo cronograma original da Anatel, cidades com mais de 500 mil habitantes receberiam o sinal a partir de julho de 2025 – esse é o prazo determinado no edital para as operadoras que venceram os leilões das faixas de frequência. Ou seja, a obrigação continua sendo 2025, mas é possível a antecipação.

Além da futura expansão do 5G, uma nova etapa em capacidade e velocidade na transmissão de dados, Joinville tem ainda demandas no 4G. Conforme o mapa de cobertura da Anatel, levando em conta todas as operadoras, 99,7% dos moradores estão na área de cobertura do 4G, um índice elevado. Mas são os dados com base em domicílios. Já a cobertura em relação à área do município, chega 73% dos 1,1 mil km2 de território.

Prefeitura de Joinville cede imóvel para instalação de coordenadoria da Funai

Continua depois da publicidade

Joinville terá dia municipal em memória às vítimas da Covid

Como a Lei das Estatais mudou a Águas de Joinville no governo anterior

Lista de concessões em Joinville é desafio para governo Adriano Silva em 2023

Por que houve a queda na fatia de Joinville no bolo do ICMS

Câmara de Joinville volta a aprovar proposta de faixa para motos em semáforos

Destaques do NSC Total