nsc
dc

Reinfecção

Anticorpos de Covid não protegem contra variante Gamma; entenda

A cepa brasileira do vírus escapa dos anticorpos neutralizantes, gerados pelo sistema imunológico, e pode causar uma reinfecção

23/07/2021 - 13h12 - Atualizada em: 23/07/2021 - 13h13

Compartilhe

Redação
Por Redação DC
O estudo contou com a parceria da Universidade de São Paulo (USP)
O estudo contou com a parceria da Universidade de São Paulo (USP)
(Foto: )

Um estudo internacional em parceria com pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) explica que ter contraído Covid não é um sinal de imunidade. Segundo a pesquisa, a variante Gamma, descoberta no Brasil, é capaz de ser mais forte do que os anticorpos gerados por pessoas que já pegaram Covid. A cepa brasileira do vírus, de acordo com o estudo, escapa dos anticorpos neutralizantes, gerados pelo sistema imunológico, e pode causar uma reinfecção.

> Acesse para receber notícias de Santa Catarina por WhatsApp

- É fundamental entender que pessoas infectadas podem ser infectadas novamente - explica William Marciel de Souza, um dos autores do artigo.

Durante o estudo, foram analisadas amostras de pacientes que já tiveram a doença e de pessoas imunizadas com a vacina Coronavac. A pesquisa mostra que pessoas que foram vacinadas ainda estão suscetíveis à uma nova infecção e, por esse motivo, o uso de máscara e distanciamento social continua sendo necessário até que boa parte da população esteja vacinada.  

> Variante Delta: tudo o que se sabe sobre a cepa da Covid

- A vacina não é contra infecção, a infecção pode acontecer a qualquer momento, com qualquer vacina, o objetivo da vacina é contra a doença, a forma grave, da pessoa morrer, ter sequelas - relembra.

Para consolidar, Souza citou um outro estudo que analisou casos de Covid-19 em idosos moradores de um convento e uma casa de repouso. Segundo o pesquisador, o vírus infectou cerca de 70 pessoas já vacinadas. 

> Gestante de 42 anos é 1ª pessoa a morrer pela variante Delta no Brasil

- Mesmo com idade bem avançada quase todos foram assintomáticos ou com sintomas leves, não precisaram de hospitalização. Isso mostra a importância das vacinas - completa.

*Com informações da Agência Brasil.

Leia também

Efeitos colaterais da AstraZeneca; veja os sintomas mais relatados

Efeitos colaterais da Pfizer; veja os sintomas mais relatados

Efeitos colaterais da Janssen; veja as reações mais relatadas

Efeitos colaterais da CoronaVac; veja as reações mais relatadas

Colunistas