nsc
dc

Pandemia

Variante Delta: tudo o que se sabe sobre a cepa da Covid

O Brasil já apresenta mais de 100 casos de Covid causados pela cepa com origem na Índia

21/07/2021 - 17h00 - Atualizada em: 21/07/2021 - 17h56

Compartilhe

Diane
Por Diane Bikel
A variante Delta surgiu na Índia
A variante Delta surgiu na Índia
(Foto: )

A confirmação dos primeiros casos importados da variante Delta do coronavírus em Santa Catarina acendeu um sinal de alerta em todo o Estado. Um estudo, que teve participação de pesquisadores ligados à Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Imperial College London, sugere que essa cepa seja a mais contagiosa entre as que já surgiram. Porém, ainda não se tem confirmação de que ela seja mais agressiva ou letal.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

A variante Delta teve origem na Índia e se espalhou rapidamente pelo mundo. No Brasil, são mais de 100 casos de Covid causados por ela. A cepa predomina em alguns países e já motiva o endurecimento de medidas restritivas, mesmo com um alto percentual de vacinação.

Até agora há poucos dados científicos sobre o quanto a variante Delta causa mais mortes do que as outras. Segundo Drauzio Varella, médico e cientista, a doença não deve se manifestar mais gravemente apenas por conta da cepa, mas a velocidade com que ela se propaga no meio, de forma silenciosa, precisa de uma atenção especial.

> Gestante de 42 anos é 1ª pessoa a morrer pela variante Delta no Brasil

A OMS estima que a variante Delta, já presente em 124 países, seja responsável por mais de 75% dos novos casos de Covid-19 nos próximos meses, em diversos países. De acordo com o virologista André Mansur, isso deve acontecer no Brasil se a variante Delta conseguir deslocar a variante Gamma, descoberta na Amazônia e que representa cerca de 90% dos casos brasileiros no momento:

- Temos que ver no cenário brasileiro se a variante Delta conseguiria ser mais rápida do que a Gamma, que já é bem transmissível.

A vacinação completa, segundo Mansur, é o suficiente para impedir casos graves e mortes. Por esse motivo, é importante que as pessoas completem a imunização com a segunda dose. Ainda não se tem estudos completos sobre a proteção das vacinas em relação às variantes, porém, em países onde a Delta já se instalou, as vacinas da Pfizer e da Astrazeneca se mostraram eficazes para evitar casos graves e mortes de Covid no local.

> As diferenças entre as vacinas da Pfizer, Astrazeneca e Coronavac

O virologista relembra a importância de se vacinar por completo:

- Não dá pra falar que com uma dose só a gente estaria protegido contra a doença. As duas doses são necessárias para atingir a eficácia das vacinas.

Em entrevista ao G1, o especialista André Bon, médico infectologista do hospital Sírio-Libanês, disse que a circulação da variante vai exigir que mais pessoas sejam vacinadas para que os países tenham a “imunidade coletiva”.

"Com a variante original, uma pessoa infectava duas a três pessoas. Isso faz com que a gente precisasse de uma cobertura vacinal entre 60% e 70%. Com a variante delta, uma pessoa infecta 5 a 8 pessoas diferentes, então, você precisa de uma proporção muito maior de vacinados para reduzir a circulação do vírus de forma sustentável".

> O que são as variantes do coronavírus e como elas impactam Santa Catarina

Outras variantes

Já se passaram mais de 12 meses desde que o primeiro registro oficial de Covid-19 foi feito. O vírus se espalhou pelo mundo e enquanto o coronavírus se replica, naturalmente, novas mutações genéticas vão surgindo. 

> Vacinação da Covid em SC: locais, fases de aplicação, idades e tudo sobre

Quatro delas deixam os cientistas em alerta: Variante Alfa (descoberta no Reino Unido), Beta (identificada na África do Sul), Gamma (descoberta no Brasil) e a variante Delta (descoberta na Ìndia).

Todas já chegaram no Brasil. A Gamma é a cepa que mais predomina nos casos ativos de Covid-19 no país no momento, porém, a Delta, que já apresenta mais de 100 casos, preocupa pesquisadores.

*Sob supervisão de Vinícius Dias.

Leia também

Efeitos colaterais da AstraZeneca; veja os sintomas mais relatados

Efeitos colaterais da Pfizer; veja os sintomas mais relatados

Efeitos colaterais da Janssen; veja as reações mais relatadas

Efeitos colaterais da CoronaVac; veja as reações mais relatadas

Colunistas