nsc
nsc

Keycash

Busca pelo bem-estar na pandemia desperta desejo de mudança na vida pessoal e profissional

Impulsionados pelo trabalho remoto, brasileiros mudam comportamento de consumo para melhorar qualidade de vida pessoal e durante jornada de trabalho

10/05/2021 - 10h31 - Atualizada em: 18/05/2021 - 15h28

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
Realizar uma longa viagem, comprar um novo imóvel no campo ou reformar a própria casa são alguns dos desejos em busca do bem-estar que vieram à tona na pandemia
Realizar uma longa viagem, comprar um novo imóvel no campo ou reformar a própria casa são alguns dos desejos em busca do bem-estar que vieram à tona na pandemia
(Foto: )

Refletir sobre a vida. Esse é um velho hábito que, devido ao longo período de distanciamento social provocado pela pandemia, tornou-se cada vez mais presente na rotina das pessoas. Há um ano e meio, de uma forma muito repentina, o mundo inteiro precisou parar e desacelerar, reaprendendo a lidar de frente com o medo, a incerteza, a ansiedade e a aflição.

> Saúde mental: como lidar com o medo na pandemia

Com as medidas de isolamento social, o teletrabalho virou realidade e, no Brasil, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD Covid-19) do IBGE, entre maio e setembro de 2020, aproximadamente 8.800 milhões de brasileiros estavam trabalhando remotamente. Isso significa que, para uma parcela da população, tanto as atividades pessoais quanto as profissionais passaram a ocorrer dentro de casa, o que despertou insatisfações antes camufladas pela rotina atribulada e que resultaram no desejo de mudança.

Mudanças comportamentais

E tem sido em meio ao caos —ou por causa dele— que muitos brasileiros estão procurando cuidar melhor da saúde mental, restaurando seus propósitos e buscando maneiras de se tornarem pessoas mais completas e realizadas. Assim, com a necessidade de praticar o autoconhecimento e o autocuidado, antigos sonhos e planos começaram a vir à tona, como uma forma de amenizar os efeitos psicológicos, físicos e até sociais causados pela pandemia.

> Os erros e acertos que marcam a pandemia em SC

Com isso, segundo dados do Consumo das Famílias e da Renda do Consumidor, também do IBGE, 2020 foi marcado pela mudança de comportamentos de consumo do brasileiro. Gastos com supérfluos passaram a ser repensados, dando lugar para mais investimentos em bem-estar, como: um novo hobby, cursos para aprimoramento pessoal ou profissional, planejamento de uma longa viagem, uma nova decoração em casa, e até a compra do tão sonhado imóvel próprio.

A yoga foi um dos hobbies que mais ganhou espaço na busca pelo bem-estar na pandemia
A yoga foi um dos hobbies que mais ganhou espaço na busca pelo bem-estar. Na semana em que a OMS anunciou a pandemia, a utilização do termo 'Yoga' alcançou seu pico nos últimos 5 anos no Brasil, de acordo com o Google Trends.
(Foto: )

As vendas de materiais de construção foram impulsionadas por aqueles que trabalham em casa, no investimento em reformas de pequeno a grande porte, na adaptação de escritórios e áreas de lazer e, ainda, na melhoria de imóveis (mesmo que de veraneio), apontam os dados.

Mais espaço e conforto para todos os momentos

Os investimentos de médio a longo prazo, como a busca por imóveis mais amplos e com espaços que possam ser multifuncionais e compartilhados, também virou uma nova tendência. Dados do Quinto Andar apontam que, ainda de março a junho de 2020, foi registrado aumento de 8% na procura por casas de rua e 10% por casas em condomínios, em virtude do interesse das famílias em ter mais ar livre sem ter que sair de casa.

> Mercado imobiliário vai se manter aquecido? Confira a opinião de especialistas

O lazer também ganhou espaço nesse novo momento de vida do brasileiro, tendo registrado aumento na procura por casas com mais de 120 m² que possuem jardim e piscina, seja para venda ou locação. Os apartamentos com terraço gourmet, de dois, três e até quatro quartos, são os mais buscados por jovens casais.

O suporte para a realização de cada sonho

Em muitos casos, é necessário recorrer a um empréstimo para a realização de sonhos há muito tempo engavetados mas é importante saber que há alternativas para esse serviço mais vantajosas do que o tradicional crédito consignado.

Dados divulgados pelo Banco Central apontam que em 2020, o crédito com garantia de imóvel cresceu 26%, totalizando R$11 bilhões. — Comparado ao crédito consignado, o custo do crédito com garantia de imóvel é quase 30% mais barato — conta Paulo Humberg, CEO da Keycash.

A Keycash é uma fintech que usa inteligência artificial para concessão de crédito nessa modalidade. Entre dezembro de 2020 e março de 2021 a empresa recebeu em sua plataforma R$2 bilhões em simulações, sendo 45% vindos do perfil empreendedor, que procura linhas de crédito mais baratas para abrir seu negócio; 17% dos assalariados e 15% dos autônomos, com motivos principais: comprar ou reformar um imóvel (32%) e investir no próprio negócio (31%).

Oferecer empréstimos ideais para tempos de mudança - rápido e sem estresse - é o objetivo da Keycash, que oferece menores taxas de juros, mais tempo para pagar e parcelas mais baixas. 

Acesse o site da Keycash e conheça o serviço de crédito com garantia de imóvel

Leia também

Dia da Enfermagem: NSC Total promove live em homenagem a profissionais da área

Planeje seu futuro: Conheça as profissões que estarão em alta nos próximos anos

Os cursos de EAD mais procurados em 2021; veja a lista

Colunistas