nsc
dc

Tragédia

Casal encontrado carbonizado com os dois filhos em incêndio no Oeste de SC foi morto antes, diz polícia

Investigação segue para confirmar se o incêndio que matou quatro pessoas da mesma família em São Domingos foi criminoso

14/05/2021 - 11h07

Compartilhe

Maria Eduarda
Por Maria Eduarda Dalponte
Quatro pessoas morreram em incêndio que destruiu casa em São Domingos
Quatro pessoas morreram em incêndio que destruiu casa em São Domingos
(Foto: )

A investigação do incêndio que matou quatro pessoas da mesma família em São Domingos, no Oeste de Santa Catarina, indica que os dois adultos encontrados carbonizados não morreram devido ao fogo, mas a um "crime de sangue", segundo informações da polícia civil, que investiga o caso como criminoso.

> Autor de ataque em Saudades escolheu creche pela fragilidade das vítimas

> Receba notícias de SC por WhatsApp

Entre as quatro pessoas que morreram no incêndio estão Neocir Rodrigheri, de 34 anos, a esposa Raquel Alves, de 31, e os filhos João Rodigheri, 11, e Maria Rodigheri, 10. 

Os laudos do Instituto Médico Legal (IML) indicaram que o homem apresentava um corte na região cervical e morreu por uma hemorragia aguda causada por um "instrumento cortante". Raquel teve a mesma causa de morte, com cortes na cervical e no tórax feitos por um objeto "perfuro-cortante".

Os documentos ainda mostraram que não havia sinais de lesões por inalação ou fuligem em via área. Dessa forma, a polícia civil passou a investigar o caso como criminoso: "as lesões foram produzidas em organismo vivo, ou seja, suas mortes não foram recorrentes do fogo que consumiu toda a residência onde o casal morava com duas crianças (também vítimas), mas sim um crime de sangue", informou em nota a DIC-Fron de São Lourenço do Oeste.

> Motociclista cai em ribanceira e morre após colisão na BR-470

Identificação e liberação das vítimas

Neocir foi identificado pela impressão digital, enquanto Raquel pela arcada dentária, segundo informações da polícia civil. A identificação das duas crianças, para que os corpos sejam liberados do IML, aguardam resultados de testes de DNA, devido à proporção e grau das queimaduras.

*Sob supervisão de Raquel Vieira

Leia também

De cada três casos de Covid no Sul de SC, um está em Criciúma

Presos de SC farão uniformes para 23 mil alunos do país

Quais são as comorbidades para a vacina da Covid? Veja a lista

Colunistas