nsc
hora_de_sc

Investigação

Caso de estupro e tortura contra homossexual em Florianópolis vai passar por perícia

Jovem, que teria sofrido graves ferimentos, não está mais hospitalizado

07/06/2021 - 18h23 - Atualizada em: 07/06/2021 - 18h28

Compartilhe

Clarissa
Por Clarissa Battistella
Caso é mantido em sigilo pela Polícia Civil de SC
Caso é mantido em sigilo pela Polícia Civil de SC
(Foto: )

O caso de supostos estupro e tortura contra um homossexual, em Florianópolis, foi submetido a perícias que devem ajudar na conclusão do inquérito policial. Desde que foi registrado, em 31 de maio, o ataque é tratado com prioridade pela investigação da Polícia Civil, que mantém todas as informações sob sigilo.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

> Morte de ciclistas na BR-101 é tragédia anunciada

O rapaz teria sido estuprado e torturado, além de ter dizeres homofóbicos marcados no corpo pelos criminosos, segundo a DPCAMI, que fez o registro inicial da ocorrência. Até a última sexta-feira (4) a vítima estava internada em um hospital da Capital. 

Já nesta segunda-feira (7) a Polícia Civil informou que o jovem não está mais hospitalizado. Por meio de nota, também disse que a 5ª Delegacia de Polícia da Capital continua com a investigação.

Coordenadora das Delegacias de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (Dpcami), Patrícia Zimmermann D'Ávilla disse ao Hora de Santa Catarina que ainda é preciso "andar um pouco mais para poder falar o que aconteceu". Ela disse, também, que "as perícias são importantes e necessárias".

> Pis/Pasep 2021 está disponível para saque até 30 de junho

Alvo de ataque nas redes sociais, após se manifestar publicamente sobre o caso, a presidente da Comissão de Direito Homoafetivo e Gênero da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SC), Margareth Hernandes, também buscou informações com o delegado à frente do caso.

A advogada disse que não conseguiu mais informações sobre o crime, mas que recebeu notícias sobre o estado de saúde da vítima:

- A boa notícia é que ele está bem, está em casa, tendo acompanhamento psicológico. No momento, ele não deseja revelar sua identidade, e o processo está correndo sob sigilo, tendo em vista as apurações dos fatos que passa por perícias e, também, as investigações sobre os autores.

Leia também

Os mistérios e as perguntas sem respostas que envolvem a morte de Vanisse Venturi em SC

Fortes chuvas deixam Litoral de SC em alerta para alagamentos e deslizamentos

Colunistas