nsc
an

Desespero

Dono de restaurante detalha incêndio em Pirabeiraba: “20 anos de história em cinzas”

Incêndio, que aconteceu no domingo (29), danificou 80% da estrutura do Recanto Gehrmann

02/09/2021 - 10h54 - Atualizada em: 02/09/2021 - 11h10

Compartilhe

Por Sabrina Quariniri
Bombeiros Voluntários de Joinville foram acionados para combater as chamas
Bombeiros Voluntários de Joinville foram acionados para combater as chamas
(Foto: )

Rudolfo Gerhmann, um dos proprietários do Recanto Gehrmann, restaurante que pegou fogo na madrugada de domingo (29) em Pirabeiraba, foi às redes sociais para detalhar o que ocorreu no dia do incêndio.

> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

Ele conta que dormia com o esposo na casa do casal, próxima ao restaurante, quando ouviu um estrondo e saiu para olhar o que havia acontecido. Foi quando se deparou com as chamas saindo do estabelecimento. Rudolfo definiu o momento como desesperador. 

Sem acesso à rede telefônica e internet, danificados por causa do fogo, correu para pedir auxílio aos vizinhos de uma floricultura próxima ao local, de onde conseguiu chamar o socorro.

- [Foi] uma cena de filme de guerra quando os bombeiros estavam chegando. Vimos 20 anos de história virados em cinzas - desabafou em sua conta no Instagram.

Relato do que aconteceu

O proprietário relata que o incêndio, que comprometeu 80% da estrutura, começou por causa de uma fritadeira elétrica que não foi desligada corretamente e ficou de um dia para o outro na tomada. Ela foi aquecida, segundo ele, no final da tarde de sábado, quando alguns clientes chegaram para tomar café colonial.

Ele conta que, após fritar alguns salgadinhos, girou o botão do aparelho e pensou ter desligado a fritadeira, onde o fogo começou. 

- O que aconteceu, infelizmente, é que a burrada foi minha. No desligar ela [fritadeira], o botão do termostato, ali onde desliga, não virei provavelmente até o final. E a fritadeira, querendo ou não, depois que a gente desliga, demora muito tempo pra esfriar a gordura. E a gente simplesmente abandona e ela vai esfriando - conta.

Joinville tem novo modelo de cobrança da conta de água; veja o que muda

Rudolfo lembra que, após os clientes irem embora e a louça ser lavada, ele fechou o restaurante, sem tirar os aparelhos da tomada. 

- Eu não tiro [os aparelhos] da tomada de sábado para domingo, não faz sentido se eu for ter que tirar tudo da tomada. É freezer, é geladeira… Tem muitos aparelhos que ficam ligados e, na minha cabeça, não tem porque eu tirar a fritadeira se vou usar amanhã novamente - exemplificou.

O proprietário imagina que a fritadeira, por ter ficado ligada, tenha esquentado durante a noite e, mesmo no automático, por algum motivo, não desligou ao atingir certa temperatura. 

- Esquentou tanto ao ponto de o óleo pegar fogo e subir até o telhado. Foi muito rápido. A gente dorme e, de repente, acorda e não tem mais a ferramenta de trabalho - relata.

Por fim, Rudolfo deixou um alerta aos que trabalham em restaurantes e outros estabelecimentos para que fiquem atentos a aparelhos na tomada. Além disso, esclareceu que o Recanto Gerhmann não possuía seguro.

- Não, não colocamos fogo para receber seguro. E se tivesse seguro, não seria do meu feitio, quem me conhece sabe como eu sou e como eu vivo. A internet é tóxica - disse, em tom de crítica aos que sugeriram a situação.

Reconstrução

Em seu vídeo, Rudolfo diz que recebeu muitas mensagens de apoio de amigos e frequentadores do restaurante, um dos mais tradicionais da região. Ele conta que foram feitos mutirões para a retirada dos entulhos e, também, lançada uma vaquinha online para a reconstrução do local.

A iniciativa é da Associação de Turismo Rural Joinville (Aterj) e já arrecadou, até a manhã desta quinta-feira (2), R$ 2.250, dos R$ 100 mil pretendidos. Rudolfo destaca que esta é a forma mais rápida dos interessados em contribuir ajudar na reforma do local.

- Estou sendo bem otimista, bem forte, porque podíamos ter morrido no fogo sem saber o que aconteceu. Vamos nos reerguer, continuar com nossos sonhos. Temos projetos. Não vamos deixar 20 anos de história morrer nas cinzas - garantiu.

Leia também

Contorno de Joinville, mais uma vez, não terá nenhum centavo no orçamento da União

Joinvilense Talisson Glock vence os 400m livre e conquista primeiro ouro em Tóquio

MP denuncia 14 integrantes de facção criminosa por tráfico de drogas em Mafra

Colunistas