nsc
an

Educação

É possível aprender inglês de forma natural na escola?

Conheça o método de ensino bilíngue para alunos do Colégio Positivo de Joinville

20/10/2021 - 19h04 - Atualizada em: 05/11/2021 - 09h15

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
 Os benefícios do ensino vão além da aquisição de uma segunda língua
Os benefícios do ensino vão além da aquisição de uma segunda língua
(Foto: )

A globalização fez com que todos estivessem conectados – recebemos informações, notícias, produtos e serviços de diversos locais do planeta. Muitas vezes, a tradução não é possível, o que requer o domínio de outros idiomas, principalmente o inglês. Se “a prática leva à perfeição”, a constância dos treinos em uma segunda língua faz com que o aprendizado seja muito mais rápido.

> Antonieta de Barros, a defensora da educação na política e na literatura

Pensando nisso, as famílias têm escolhido instituições de ensino que oferecem ensino bilíngue, uma modalidade em que o aprendizado ocorre também em uma segunda língua, além de promover uma vivência ao longo do tempo. Os benefícios vão além da aquisição de uma segunda língua, pois os bilíngues conseguem manter seu foco em uma atividade com maior facilidade e esse formato de educação prepara o aluno para as oportunidades tanto de vida como de âmbito profissional. Moradora de Joinville, Juliana Ristow Gomes é mãe da Alice, de seis anos, que iniciou os estudos em uma escola bilíngue neste ano.

— É tão natural a língua inglesa em tudo que falamos, que é imprescindível que a criança já tenha esse contato. Pelo convívio e pela necessidade que a gente vê hoje em dia, o inglês se tornou algo que não é obrigatório, mas é parte do dia a dia. Ela canta e o colégio fez com que fosse naturalmente. Ela se diverte, adora e tem curiosidade de saber as palavras em inglês. O incentivo é de outra forma — conta.

Também de Joinville, Fernanda de Moraes é mãe da Lara, de onze anos, que já estudou em escolas bilíngues, mas recentemente trocou de colégio – também bilíngue – e tem gostado ainda mais dos resultados.

> Funções da linguagem: resumo e questões sobre o tema que cai no Enem

— A Lara se desenvolveu muito, considero que ela já é fluente. Ela domina muito a língua. A criança que vai à escola bilíngue acaba tendo horas a mais de estudo. Foi um desafio no começo, mas ela deu conta. Não me arrependo e não pretendo tirá-la até terminar o Ensino Médio, no mínimo — reforça a mãe.

O que é o ensino bilíngue?

Ana Paula Teixeira, coordenadora do ensino bilíngue no CIPP - Centro de Inovação Pedagógica, Pesquisa e Desenvolvimento do Colégio Positivo, explica que o ensino bilíngue é uma forma de ensino que envolve a instrução em duas línguas: a língua-mãe e uma adicional, seja inglês, francês, entre outras. O ensino pode acontecer de maneira formal, na escola, com educação bilíngue, ou em casa, se os pais tiverem nacionalidades diferentes, por exemplo. Ela reforça que as escolas bilíngues e de inglês são diferentes.

> Palavras-chaves, resumos e grifar textos: confira as melhores e piores técnicas de estudo

— A escola de inglês tem aulas de língua inglesa e a escola bilíngue tem aulas em língua inglesa e aulas de inglês também. Após 20 anos sem legislação, saiu nossa lei de educação bilíngue com as diretrizes nacionais. O Ministério da Educação (MEC) coloca que, para ser considerada educação bilíngue, existem alguns pré-requisitos, como disciplinas ministradas em língua inglesa. Somente aulas de língua inglesa não bastam. Antigamente, se a escola tivesse uma hora a mais de língua inglesa por dia poderia ser considerada bilíngue. Hoje, não mais. Precisamos, na Educação Infantil e no Ensino Fundamental, que 30% das disciplinas sejam ministrados em língua inglesa e, no Ensino Médio, 20% — detalha a especialista.

Além disso, os professores precisam ter nível mínimo de proficiência linguística em B2, com formação determinada pela legislação.

Aprender outra língua requer treino constante

As crianças e adolescentes possuem mais facilidade de aprender outros idiomas, principalmente quando são expostas a maiores estímulos relacionados à cultura. No entanto, é preciso continuar os treinos – assim como em outros aspectos da vida.

— Tudo ao que não somos expostos com frequência vai sumindo devagarinho na nossa mente. A gente aprende a andar de bicicleta, mas a gente treina. A gente nunca vai esquecer, mas precisamos ter a prática para desenvolvimento. Necessitamos de estímulos constantes, com uso da língua, para que a gente atinja níveis mais altos de proficiência — conta a coordenadora do ensino bilíngue.

Patrícia Menezes Barcelos Corrêa, diretora do Colégio Positivo Joinville explica que, na instituição, para as crianças que ficam em período integral na escola, existe um planejamento para que não se sintam cansadas.

— É feito todo um planejamento de forma que o aluno é o protagonista, participando ativamente da construção do conhecimento. Os alunos exploram o ambiente escolar como um todo. A abordagem é baseada nos projetos, nos quais os alunos praticam a “mão na massa” — conta Patrícia.

Segundo a diretora, a criança que estuda em período integral costuma ser mais autônoma para buscar alternativas que atendam às suas necessidades.

— Elas utilizam todos os espaços que a escola oferece, tendo em vista que esse ambiente se torna uma extensão da casa dela. A prática de buscar e resolver seus problemas vem de encontro com a dinâmica diária, sempre com mediação dos professores. Assim, a criança se torna mais confiante. Dessa forma, quando a escola se torna uma segunda casa para a criança, o cansaço e a saudade de casa já não são mais um problema — completa a diretora.

Sobre o ensino bilíngue no Colégio Positivo

As filhas citadas estudam no Colégio Positivo, localizado no município de Joinville. A instituição oferece o sistema de Ensino Bilíngue desde a Educação Infantil e se prepara para atender à nova legislação a partir de 2022. Tendo como lema “bilíngue é mais do que falar inglês”, o estudante aprende por meio da nova língua, compreendendo diferentes fontes de informação e ampliando sua cultura.

O Colégio Positivo Jr. fica na rua Aquidaban, 660
O Colégio Positivo Jr. fica na rua Aquidaban, 660
(Foto: )

A base pedagógica do currículo internacional foi desenvolvida pela Universidade de Cambridge, na Inglaterra, e conta com o uso de materiais didáticos exclusivos e apoio para a realização de exames. Além disso, os alunos têm a oportunidade de participar de atividades especiais e de projetos e eventos específicos.

Corrêa, que é diretora do Colégio, afirma que, na instituição, o aprendizado do ensino bilíngue abrange simultaneamente dois idiomas como meio de ensino.

— O inglês está presente no mundo dos negócios, na ciência, na economia e na tecnologia, entre outras áreas de destaque. O inglês é considerado uma língua fundamental. Mas relatórios e pesquisas mostram constantemente que o segundo idioma ainda é uma realidade distante no país, inclusive a fluência é um grande entrave quando o assunto é Língua Inglesa. E é aqui, no Colégio Positivo — Joinville, que nossos alunos conseguirão estar mais próximos deste mundo atual, do qual a comunicação universal vem sobressaindo. De forma tranquila, prazerosa e interativa, a proposta é construída junto de nossos alunos. O Ensino Bilíngue é mais do que aprender inglês, é uma vivência — reforça.

Assista ao vídeo:

Tem interesse em ensino bilíngue? Saiba mais sobre essa modalidade no Colégio Positivo.

Leia também

Ensino híbrido: entenda o que é, como surgiu e a metodologia usada​

Sete passos para estruturar a Redação do Enem

Veja as 10 maiores notas de corte no Sisu

Colunistas