nsc

    Imunização

    Especialista diz que plano nacional de vacinação é conduzido "por uma equipe competente"

    Segundo imunologista, ideal era esperar por resultados mais conclusivos das vacinas, se a pandemia estivesse controlada

    02/12/2020 - 13h19

    Compartilhe

    Leandro
    Por Leandro Lessa
    Ministério da Saúde divulgou plano de imunização
    Ministério da Saúde divulgou plano de imunização
    (Foto: )

    Uma ponta de esperança na luta contra o coronavírus surge com o anúncio de que o Reino Unido aprovou a vacina desenvolvida pelas farmacêuticas Pfizer e BioNTech. A taxa divulgada pelas duas empresas mostraram 95% de eficácia. Em entrevista à CBN Diário nesta quarta-feira (2), a imunologista e biomédica Lucia Abel Awad, que é PhD em doenças infecciosas, reitera que o ideal - se a pandemia estivesse sob controle neste momento - deveria ser esperar por resultados mais conclusivos. 

    Na opinião da especialista, o desrespeito com os cuidados por parte da população - como o caso dos jovens que passaram a frequentar locais com aglomerações e contaminaram os adultos em casa, principalmente os idosos - alavanca a chamada "segunda onda" de covid-19. Diante do aumento no diagnóstico positivo para a doença e do tempo apertado, acaba sendo adotado o que Lucia Awad considera um "plano B" para imunizar a população. A profeissional reforça a necessidade de manter as medidas de proteção, como uso de máscara, álcool gel e distanciamento. 

    - Face ao número expressivo de casos nos últimos meses, acho que essa atitude deva acontecer também no Brasil. Até essas vacinas apresentarem resultado para serem colocadas em registro na Anvisa e ficarem disponível para a população, acredito que isso ainda vai demorar um certo tempo. Estamos prevendo a vacinação para o primeiro semestre do ano que vem, mas isso para os grupos prioritários. Se a gente conseguisse controlar a pandemia, acredito que o correto seria aguardar os resultados das vacinas na fase 3 - declarou a professora e pesquisadora.  

    > Vacinação contra a Covid vai começar com profissionais de saúde, maiores de 75 anos e indígenas

    A imunologista acredita que o plano nacional de imunização, apresentado nesta terça-feira, "está sendo bem conduzido por uma equipe muito competente". Ela cita que o grupo possui técnicos do Ministério da Saúde, profssionais e autoridades ligados ao setor, além representantes de órgãos voltados à pesquisa. 

    Até o momento, quatro projetos para vacinas contra a covid que estão na fase 3 - a última etapa antes do registro oficial - são testadas no Brasil. Porém, o plano da vacinação do governo federal não prevê doses que exijam o acondicionamento a baixíssimas temperaturas porque não haveria condições de armazená-las na rede pública - são os casos da Pfizer e da Moderna

    > Santa Catarina supera Rio de Janeiro e é o 4º estado com mais casos de covid-19 na pandemia

    > Estado notifica hospitais para que reativem leitos de UTI Covid imediatamente

    Ouça a entrevista com a imunologista Lucia Abel Awad para a CBN Diário: 

    > Fecam anuncia acordo para compra da vacina CoronaVac por municípios de SC

    Colunistas