nsc
dc

Seca

Estiagem em Santa Catarina se iguala a pior da história

Nas regiões mais afetadas de SC, 80 cidades decretaram situação de emergência

18/11/2020 - 13h00

Compartilhe

Fernanda
Por Fernanda Mueller
A estiagem mais severa da história de SC foi registrada em 1957
A estiagem mais severa da história de SC foi registrada em 1957
(Foto: )

A estiagem em Santa Catarina, que começou em meados do ano passado, já se iguala a mais severa da história, registrada em 1957, segundo o hidrólogo da Epagri, Guilherme Miranda. A previsão é de que o período de secas se estenda até o ano que vem, por influência do fenômeno La Niña.

> Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

A situação é preocupante principalmente nas regiões do Extremo Oeste, Oeste e Meio Oeste, onde o déficit hídrico no ano alcança 711mm, 801,9mm e 895,9mm, respectivamente, de acordo com dados da Epagri. Nas regiões mais afetadas de SC, 80 cidades decretaram situação de emergência, segundo a Defesa Civil.

Veja o balanço das regiões 

- Regional de Concórdia: dos 14 municípios, 13 decretaram situação de emergência. - Regional Xanxerê: dos 20 municípios, 14 decretaram situação de emergência. - Regional de Chapecó: dos 22 municípios, 19 + 2 vigentes (Jardinópolis e Nova Erechim) decretaram situação de emergência. - Regional de Maravilha: dos 17 municípios, 17 decretaram situação de emergência. - Regional de São Miguel do Oeste: dos 19 municípios, 17 decretaram situação de emergência.

> Cidades de SC adotam rodízio de abastecimento de água por conta da estiagem

Situação agravada pelo Aquecimento Global 

Segundo Guilherme Miranda, é necessário que o governo e agricultores estejam preparados para enfrentar situações extremas de secas e períodos de muitas chuvas. 

– Essa situação vai continuar se repetindo. Nós vamos conviver com eventos mais extremos, seja de enchente ou estiagem, com mais frequência por causa do Aquecimento Global – afirma.

Alimentos mais caros

A produção agrícola de Santa Catarina tem sofrido grandes perdas nos últimos meses por conta da estiagem. A redução da oferta de vários itens básicos reflete diretamente no bolso do consumidor. Segundo o vice-presidente da Faesc, Enori Barbieri, a inflação dos alimentos já está em 10% este ano. A safra do alho foi a mais atingida no inverno, com uma redução de 15%, aponta a Epagri. A criação de suínos, aves e gados de leite também estão sendo muito afetadas.

> Estiagem em SC: "Quem vai pagar a conta é o consumidor", garante vice-presidente da Faesc

Regiões afetadas recebem ajuda do governo 

Nesta semana, o governo do Estado solicitou apoio da Assembleia Legislativa para destinar R$ 3 milhões aos atingidos pela falta de chuvas. Com a liberação de recursos, mais de 2.000 propriedades rurais do Oeste que enfrentam falta de água podem ser beneficiadas. O governo já havia liberado um total de R$ 42 milhões para as regiões afetadas pela seca.

Previsão para o futuro

Apesar de ter chuva prevista em todo Estado para a segunda quinzena de Novembro, o volume deve ser baixo, principalmente no Oeste. O meteorologista da NSC Comunicação, Leandro Puchalski, explica que a estiagem em Santa Catarina faz parte da normalidade do clima, especialmente quando ocorre o La Niña. O fenômeno é o principal responsável pela redução dos volumes de chuva, e deve se estender pelo verão de 2021.

> A estiagem em SC vai continuar

Dicas para economizar água

– Tome banhos rápidos e feche o chuveiro ao se ensaboar;

– Feche a torneira ao escovar os dentes e ao fazer a barba;

– Não lave a louça com água corrente, abra a torneira apenas para enxaguar;

– Não use a água como vassoura. Em calçadas e áreas pavimentadas, primeiro varra a sujeira, depois lave com a utilização de um balde;

– Não use mangueira, e sim balde e pano para lavar o carro;

– Verifique se não há vazamentos na tubulação de água;

– Ligue a máquina de lavar roupas apenas quando ela estiver completamente cheia;

– Reaproveite água.

Colunistas