nsc
santa

Crime cruel

Farra do boi: animal solto em rua é resgatado por PM Ambiental em Porto Belo

Policiais foram hostilizados por adeptos à prática durante captura

02/04/2021 - 10h50 - Atualizada em: 02/04/2021 - 10h52

Compartilhe

Bianca
Por Bianca Bertoli
Boi estava solto em estrada
Boi estava solto em estrada
(Foto: )

No mesmo dia em que uma quadrilha especializada em promover farra do boi em cidades do litoral catarinense foi indiciada, a Polícia Militar Ambiental atendeu uma suspeita do mesmo crime em Porto Belo. Na noite desta quinta-feira (1º), denúncias alertaram os agentes sobre um animal solto que estaria acompanhado por dois homens em uma via pública.

> Receba todas as notícias do Santa no seu WhatsApp. Clique aqui.

A PM Ambiental, junto com o Grupo de Operações e Resgate, foi até o local por volta das 20h, na estrada que leva à Ponta do Araçá. O boi realmente estava na rua, solto, mas com a chegada da guarnição não havia mais ninguém próximo ao animal.

Ele foi laçado e levado por um caminhão de transporte a um lugar seguro, ficando sob os cuidados da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc). 

Durante o deslocamento, a PM Ambiental informou que ao passar em frente à Vila do Caixa D'aço, houve manifestação verbal de populares adeptos à Farra do boi. Porém, como não houve nenhuma ação de violência ou de vandalismo, ninguém foi abordado ou preso.

Crime cruel

O indiciamento da Polícia Civil nesta quinta-feira foi por maus-tratos, associação criminosa, receptação e adulteração de veículo. O grupo foi descoberto depois que um boi se jogou na piscina de um condomínio, ao ser perseguido por farristas em Bombinhas, no último domingo (28), conforme divulgou a colunista Dagmara Spautz. A prática foi identificada em Porto Belo e outras três cidades litorâneas: Bombinhas, Governador Celso Ramos e Tijucas.

A prática da farra do boi , além de cruel, é crime em Santa Catarina desde a década de 1990 e resulta em infração administrativa com pena de multa de até R$ 10 mil ou prisão, em caso de reincidência.

Colunistas