*Com informações do repórter da NSC TV, Walter Quevedo

Uma força-tarefa entre Defesa Civil, Instituto do Meio Ambiente (IMA), Polícia Civil, Polícia Militar Ambiental e Polícia Militar Rodoviária vai buscar avaliar as causas e a extensão dos danos ambientais provocados pelo acidente com ácido sulfônico na Serra Dona Francisca, em Joinville, nesta segunda-feira (29).

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Estação do Cubatão volta a operar em Joinville após vazamento de produto químico em rio

Um caminhão colidiu no barranco da curva do Mirante, próximo ao km 14 da SC-418, provocando o derramamento da carga de ácido sulfônico sobre a pista. O produto chegou até o Rio Seco, que desemboca no Cubatão – um dos principais rios de captação de água que abastece a cidade – e motivou a suspensão do tratamento de água. O ácido sulfônico é tóxico e pode provocar feridas e queimaduras em quem tem contato com o produto.

Continua depois da publicidade

Segundo Fábio Castagna da Silva, diretor de Controle e Passivos Ambientais do IMA, o instituto deve apurar as responsabilidades ambientais, e também atuar no monitoramento em vários pontos do rio afetado pelo vazamento do produto, para avaliar sua dissipação.

Agora, o foco, conforme ele explica, é recuperar as condições ambientais do local e propor medidas mitigatórias. A extensão do dano, no entanto, ainda deve ser avaliada.

O coronel César Nunes, diretor de Gestão de Desastres da Defesa Civil de Santa Catarina, afirma que o órgão fez o mapeamento de risco.

Perícia

A perícia no local do acidente e na água do rio onde houve o derramamento foi realizada pela Polícia Científica. Já a Polícia Civil, por meio da Divisão de Crimes contra o Meio Ambiente, da DIC de Joinville, instaurou inquérito policial para apurar causas e responsabilidades envolvendo o tombamento do caminhão.

Conforme a delegada Tânia Harada, responsável pela investigação, o local já foi periciado e a empresa responsável pelo transporte já está identificada. A delegada informou ainda que será pedida uma perícia no caminhão e o DNIT será oficiado para verificar eventual irregularidade no transporte da carga.

Continua depois da publicidade

Empresa se manifesta

A empresa responsável pelo transporte da substância se manifestou sobre o vazamento do produto, na SC-418, no final da tarde desta segunda-feira (29).

Confira a nota oficial na íntegra:

“A Buschle & Lepper Distribuidora de Produtos Químicos vem a público informar que o caminhão cujo acidente na SC-418 resultou no vazamento do produto químico, transportava o Ácido Sulfônico para a unidade de distribuição de Joinville. Este insumo, utilizado para a produção de detergentes e similares, era transportado pela empresa terceirizada Transpare Transportes (Inlog). A transportadora é homologada para esta atividade pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), além de possuir as certificações necessárias para o transporte de produtos químicos.

A empresa lamenta as consequências desta ocorrência para o abastecimento de água de Joinville e para o meio ambiente, informa que seus técnicos estão atuando junto ao Gabinete de Crise da Prefeitura de Joinville desde esta manhã para contribuir na busca de soluções para os danos causados e que está acompanhando junto à Inlog a identificação das causas do acidente, as providências necessárias para mitigar os impactos socioambientais e a evolução do quadro de saúde do motorista”.

Veja fotos do Rio Seco com espuma em Joinville

Continua depois da publicidade

Leia mais

Polícia vai investigar espuma e contaminação por ácido sulfônico em rio de Joinville

Do que depende a volta da produção de água no Cubatão, em Joinville

VÍDEO: Veja o momento do acidente que causou vazamento em rio de Joinville

Destaques do NSC Total