nsc
dc

Tecnologia

Game com temática manezinha é desenvolvido por primos de Florianópolis durante a pandemia

Desenvolvedores estão com uma campanha de crowdfunding para ampliar o jogo que está disponível gratuitamente para o sistema Android

23/01/2021 - 11h28

Compartilhe

Por Janaína Laurindo
Cena do Tainha Storm
Cena de uma das fases do Tainha Storm
(Foto: )

Tradicionalmente avistadas nos mares de Florianópolis no período do inverno, parece que as tainhas estão dominando a cidade antes mesmo dos dias frios chegarem. Mas calma, isso está acontecendo na realidade virtual, com o primeiro jogo para Android ambientado nos principais pontos turísticos da Ilha de Santa Catarina, o Tainha Storm. O game é resultado de um projeto desenvolvido ao longo da quarentena por três primos manezinhos: Douglas Melo, Daniel Piazza e Alexandre Piazza.

> BBB 21: saiba qual o perfil dos participantes nas redes sociais

Com gráficos que lembram os jogos dos anos 90, com jogabilidade simples e acessível, a primeira versão do jogo inclui oito fases: na Ponte Hercílio Luz, no Mercado Público, na Lagoa da Conceição, na Praia da Joaquina, nas dunas, na Costa da Lagoa, nas Praia de Naufragados e no Ribeirão da Ilha. O jogo manezinho traz muitos detalhes reais dos bairros de Floripa.

> 9 praias de Florianópolis para conhecer a origem do nome

Cena Tainha Storm
A Ponte Hercílio Luz é uma das oito fases do jogo manezinho
(Foto: )

> Oscar 2021: curta-metragem catarinense, Baile, concorre a uma vaga na categoria Live Action

— Por exemplo, na fase do Ribeirão da Ilha é possível observar a Cambirela e Pedra Branca ao fundo. Quem conhece bem a Avenida das Rendeiras identifica todos os elementos que estão no jogo. Na fase de Naufragados, além do icônico farol, você encontra ao fundo a Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição de Araçatuba — conta Douglas, programador do novo game.

> Receba notícias de Florianópolis e região no seu WhatsApp

Disponível gratuitamente na Google Play Store, o Tainha Storm traz um mapa que pode ser aberto e explorado conforme o jogador vai coletando tainhas. A história do jogo se desenvolve ao redor da ideia de que um ciclone extratropical fez chover tainha por toda Ilha.

A história do ciclone é contada pelo personagem Sábia, que homenageia o avô dos desenvolvedores do jogo, um pescador nascido na Praia de Fora, na Palhoça, tratorista e responsável por abrir a estrada do Morro da Lagoa e pela terraplanagem da Universidade Federal de Santa Catarina, obras muito importantes para a cidade.

> Por onde anda o primeiro participante catarinense do Big Brother Brasil

O Tainha Storm é o primeiro trabalho que os primos realizam juntos, mas não deverá ser o único. Com o mercado de games crescendo em Florianópolis, a equipe já planeja ampliar o projeto e criar novos jogos. Planos que ganham força com o retorno do público que já está testando o game.

— Estamos surpresos não só com os feedbacks positivos, mas também com as críticas construtivas que nos possibilitam aprimorar. É um desafio grande criar um game onde todo o tipo de público consiga interagir bem — comenta Douglas.

> "Soltos em Floripa": segunda temporada do reality show já tem data de estreia

Responsável pela parte de programação, Douglas mostrou seu conhecimentos para Daniel, que desde pequeno tinha talento para desenho, ele então ficou responsável pela área de design e animação, e assim desenvolveram a primeira versão. Logo convidaram o primo Alexandre para criar os sons para o jogo e logo desenvolveram as outras fases ambientadas em locais diferentes da cidade.

Para expandir o Tainha Storm, os primos estão abrindo uma start up de games, a Deep Search Games, e já estão com uma campanha de crowdfunding (http://vaka.me/1698915) no ar para custear algumas novas funcionalidades no jogo manezinho.

— Atualmente ele está disponível apenas para Android devido à complexidade e valores de lançar para IOS (iPhones, iPads) porém temos muita vontade de levar o jogo à mais pessoas inclusive com uma versão na internet hospedada em um servidor dedicado. Para isso, lançamos uma “vaquinha online” para tentar arrecadar fundos para continuarmos também expandindo o jogo, já que é um trabalho que requer muita dedicação de tempo e algumas tecnologias pagas — completa Douglas.

Colunistas