nsc
dc

Investigação

Helicóptero da PM sobrevoa escola após professora criticar Bolsonaro

O Ministério Público Estadual vai investigar o caso registrado em Cuiabá; os integrantes da aeronave estenderam uma bandeira do Brasil durante a ação

03/09/2021 - 17h21

Compartilhe

Redação
Por Redação DC
O sobrevoo aconteceu nesta quinta-feira (2)
O sobrevoo aconteceu nesta quinta-feira (2)
(Foto: )

Um helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas da Polícia Militar (PM) sobrevoou, nesta quinta-feira (2), a escola onde uma professora foi punida após criticar Jair Bolsonaro em sala de aula. O caso aconteceu em Cuiabá, no Mato Grosso, na última terça-feira (31). As informações são do G1.

> Receba as principais informações de Santa Catarina pelo WhatsApp

Os policiais que estavam no helicóptero estenderam uma bandeira do Brasil enquanto sobrevoavam a instituição. Alguns alunos registraram o momento. 

O Ministério Público Estadual (MPE) vai investigar o motivo do voo e esclarecer se a suspensão da professora tem relação com a ação feita pelo helicóptero da PM, nesta quinta-feira.

> Quem era a professora morta em ataque a creche no Oeste de SC

> Professor é demitido por expor "conteúdo inapropriado" em Criciúma

A Secretaria Estadual de Segurança Pública do Mato Grosso informou em nota que a ação é referente às atividades da semana da pátria, e que não existe relação política. 

Comentários da professora

A professora foi gravada, em áudio, no momento em que falava sobre crimes ambientais. Durante a aula, ela citou o presidente ao dizer que Bolsonaro apoia crimes ambientais. Os estudantes do 3º ano do ensino fundamental compartilharam a gravação em grupos de mensagens, o que causou revolta nos pais das crianças.

> Polícia encontra fábrica de artefatos nazistas em SC

A educadora aparece falando ainda sobre o voto impresso e os apoiadores do presidente. A escola se pronunciou sobre a suspensão e disse que a professora descumpriu uma regra do artigo do código de ética ao fazer comentário político-pardidário.

Leia também

Prefeito de Criciúma será denunciado ao MPSC por discurso homofóbico

Prefeita e médica é proibida de atender pacientes: "desvio de função"

Em ataque a creche de SC, professoras trancaram crianças na sala de aula para evitar mais mortes

Colunistas