nsc
an

Paralimpíadas de Tóquio

Joinvilense Talisson Glock conquista segundo bronze na natação em Tóquio

Esta foi a primeira medalha individual paralímpica do atleta de 26 anos

01/09/2021 - 09h03 - Atualizada em: 01/09/2021 - 09h07

Compartilhe

Por Sabrina Quariniri
alisson Glock é bronze na natação nas Paralimpíadas de Tóquio 2020
alisson Glock é bronze na natação nas Paralimpíadas de Tóquio 2020
(Foto: )

O joinvilense Talisson Glock, de 26 anos, conquistou sua segunda medalha de bronze nesta quarta-feira (1) na modalidade de natação. Em disputa apertada, Talisson levou a melhor nos 100m livre classe S6 (para atletas com deficiências físicas) no Centro Aquático das Paralimpíadas de Tóquio.

> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

Paralimpíada de Tóquio: saiba quem são os atletas de SC convocados

Conforme o ge, a conquista veio literalmente na batida de mão, já que o joinvilense parecia atrás do chinês Jia Hongguang. No entanto, no metro final de prova, ele se esticou e superou o asiático por apenas um décimo: 1min05s45 x 1min05s55.

Esta foi a primeira medalha individual paralímpica do atleta. Talisson já havia conquistado o bronze durante a manhã de domingo, 26 de agosto, na prova de revezamento 4x50 livre. 

A equipe garantiu o bronze com o tempo de 2min24s82. Talisson foi quem fechou o revezamento e segurou a terceira posição para a equipe brasileira. Ao todo, ele soma quatro pódios paralímpicos na carreira (todos terceiros lugares).

- Foi difícil a pandemia para mim. Engordei bastante. Eu tenho essa tendência. Estou até hoje tentando recuperar esses quilinhos aí. Consegui chegar ao pódio, mas não acredito que foi meu 100% ainda. Também teve a questão aqui no Japão que fomos bastante atrapalhados no começo. Ficamos seis dias sem treinar [por um caso de Covid na delegação brasileira] – disse Tallison, em entrevista ao ge.

Segundo bronze de Talisson
Esta é a segunda medalha de bronze conquistada pelo atleta em Tóquio
(Foto: )

Ainda na disputa desta quarta-feira, segundo informações do ge, o italiano Antonio Fantin ficou com o ouro e bateu recorde mundial (1min03s71). O colombiano Nelson Crispin Corzo veio logo atrás, (1min04s82), ficando com a prata.

Leia também

Celsinho, do Londrina, relata caso de racismo em jogo contra o Brusque

Brusque nega racismo contra Celsinho, cita "oportunismo" e acusa jogador de "perseguição"

Brusque pede desculpas por nota sobre racismo e chama comunicado de "infeliz"

Colunistas