nsc
dc

Novas regras

Lages suspende aulas presenciais e fecha serviços não essenciais por seis dias

Medidas passam a valer a partir de terça-feira (9). Segundo prefeito, cidade não tem mais leitos de UTI Covid

07/03/2021 - 10h23 - Atualizada em: 07/03/2021 - 11h57

Compartilhe

Catarina
Por Catarina Duarte
Prefeito Antonio Ceron assinou decreto em uma coletiva de imprensa na manhã deste domingo (7)
Prefeito Antonio Ceron assinou decreto em uma coletiva de imprensa na manhã deste domingo (7)
(Foto: )

Lages terá medidas mais restritivas de combate ao coronavírus nesta semana. O anúncio foi feito em uma entrevista coletiva na manhã deste domingo (7). Segundo o prefeito Antonio Ceron (PSD), todos os leitos de UTI Covid da cidade estão lotados e há falta de medicamentos nos hospitais. Além da proibição do funcionamento de diversos serviços, as aulas presenciais também estão suspensas.

As medidas entram em vigor a partir da 00h de terça-feira (9) e valem até o dia 15 de março. Quem descumprir as regras poderá ser multado em R$ 2 mil. Já para os estabelecimentos comerciais o valor pode chegar a R$ 21 mil.

> Clique aqui e receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

— No momento, todos os 56 leitos de UTI Covid estão ocupados e só abre vaga quando tem óbito — afirmou o secretário da Saúde Claiton Camargo de Souza.

Veja algumas das atividades proibidas pelo novo decreto: 

- atividades religiosas presenciais em templos e igrejas;

- comércio varejista de bebidas alcoólicas;

- shopping center e lojas de departamentos;

- reuniões familiares em residências, sítios e áreas comuns de condomínios, em que se constate a presença de pessoas não pertencentes ao núcleo familiar residente no local.

Hotéis podem continuar abertos, segundo o texto.Os restaurantes que funcionam dentro desses locais podem atender apenas aos hóspedes. A tele-entrega e os locais com drive-thru também podem funcionar durante o período de restrição.

> Com novo recorde, Brasil bate mais de 10 mil mortes por Covid-19 em sete dias

A realização de atividades físicas individualmente também é permitida. Obras da construção civil, transporte coletivo e por aplicativo também seguem operando.

Lages vive colapso

Ainda na coletiva, o prefeito e autoridades sanitárias falaram sobre a situação enfrentada pelo município. Segundo o secretário de saúde Claiton Camargo de Souza mesmo com a abertura de 100 leitos nos últimos 15 dias, as unidades estão lotadas.

> Painel do Coronavírus: confira a evolução da pandemia em Santa Catarina

— Nós tivemos nos últimos 15 dias uma frente de trabalho muito grande. Juntamente com os secretários e gestores da região, abrimos mais de 100 leitos em toda a Serra catarinense e neste momento, mesmo com toda a força de trabalho que tem sido enfrentada, nós estamos em colapso. Nós estamos com todas as estruturas sobrecarregadas, 100% de ocupação das UTIs na nossa região e estamos com mais de 90% de ocupação dos nossos leitos de enfermaria — afirmou o secretário de saúde, Claiton Camargo de Souza.

O diretor do Hospital de Triagem (CT) Dr. Leonardo Coelho fez um alerta em relação à doença. Segundo ele, os pacientes que têm procurado atendimento são cada vez mais jovens, com crianças e gestantes entre os infectados. Além disso, o município enfrenta a falta de profissionais capacitados.

> Acompanhe dados da vacinação em cada município de SC no Monitor da Vacina

— A situação é caótica. Não temos mais médicos e enfermeiros. O problema é a falta de pessoal agora também — comentou.

Segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Lages já registrou 15.126 casos e 233 óbitos pela Covid-19.

Leia mais:

SC pede médicos e equipamentos para ativar leitos em hospital de campanha em Chapecó

Rave com 100 participantes é encerrada pela polícia em Indaial

Entrevista de André Motta à Globonews retrata uma SC que não existe

Colunistas