nsc
dc

Polêmica

Lockdown na prefeitura de Criciúma é criticado por sindicato: 'Ninguém quer ficar no sofá comendo pipoca'

Reação da entidade que representa os servidores veio após município decretar que categoria poderia se afastar, desde abra mão do salário

18/03/2021 - 14h59 - Atualizada em: 18/03/2021 - 17h38

Compartilhe

Jean
Por Jean Laurindo
Prefeitura de Criciúma anunciou lockdown para servidores, mas sem salário
Prefeitura de Criciúma anunciou lockdown para servidores, mas sem salário
(Foto: )

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Criciúma (Siserp) reagiu à medida da prefeitura de decretar lockdown voluntário e sem remuneração para funcionários públicos municipais. A presidente da entidade, Jucélia Vargas, diz que a decisão do município causou indignação na categoria e que o pedido de trabalho remoto era para os servidores com comorbidades e do grupo de risco de complicações da Covid-19.

> Fechamentos em Chapecó, Xanxerê e Lages fizeram casos ativos de Covid-19 cair até 64,5%

– Ninguém aqui falou em lockdown, que todo mundo queria ficar em casa. Ninguém quer ficar em casa no sofá comendo pipoca. Todos estamos amedrontados – rebateu a presidente, ao portal G1 SC.

Segundo o sindicato, no município há autorização para home office para as servidoras da educação que estejam no grupo de risco. As gestantes também tiveram afastamento.

A dirigente afirma que a preocupação é com a vida dos servidores que atuam em escolas, postos de saúde e nas ruas da cidade, por conta do avanço da pandemia de Covid-19.

Criciúma é a sexta cidade do Estado com a maior quantidade de pessoas que já contraíram Covid-19, com 25.423 casos, e a oitava com mais pacientes ativos da doença atualmente – eram 1.216 até o boletim desta quarta-feira (17). A região de Criciúma tinha 98,9% de ocupação de leitos adultos de UTI, com apenas uma vaga nesta quinta.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Vai ficar em casa, mas não vai receber salário”, diz prefeito

Nesta quarta-feira, o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB) anunciou que servidores da prefeitura poderiam cumprir lockdown e se afastar das atividades, desde que deixem de receber parte do salário.

Em vídeo publicado nas redes sociais, o prefeito ainda criticou os pedidos que vêm recebendo para a adoção de medidas mais restritivas na cidade.

- Estou assinando o decreto de lockdown na prefeitura de Criciúma. Lembrando só um detalhe: lockdown sem remuneração. Não quer vir trabalhar? Não tem problema. Quer se cuidar? Ótimo. Vai ficar em casa, mas não vai receber salário – afirmou.

Salvaro ainda criticou os vários pedidos que diz ter recebido para tomar a medida nos últimos dias e argumentou que, com cuidados sanitários, não haveria necessidade de paralisar as atividades.

* Com informações do portal G1 SC

Leia também

> Aulas presenciais em Florianópolis devem ser retomadas, decide Justiça

> O que são as variantes do coronavírus e como elas impactam Santa Catarina

> Escola de Florianópolis esconde 20 crianças no banheiro para fugir de fiscalização

Colunistas