nsc
    dc

    Coronavírus

    Mãe do 1º catarinense transferido para o Espírito Santo ainda aguarda leito de UTI em Chapecó

    Enquanto Daniel foi levado para outro estado, Margarida segue intubada na UPA do município

    05/03/2021 - 13h00 - Atualizada em: 05/03/2021 - 16h20

    Compartilhe

    Catarina
    Por Catarina Duarte
    Por Caroline Borges
    Daniel e a mãe Margarida lutam contra a Covid-19
    Daniel e a mãe Margarida lutam contra a Covid-19
    (Foto: )

    Ao lado da mãe, Daniel Pergoraro de 34 anos aguardou por um leito de UTI em Chapecó por sete dias. Os dois foram infectados pela Covid-19, internados e intubados na UPA do município. Na quarta-feira (3), o filho finalmente conseguiu a vaga num hospital do Espírito Santo. Enquanto isso, Margarida Pergoraro, 70 anos, ainda espera na unidade de pronto-atendimento.

    — Ele entubou lá na UPA, naquela UTI provisória. Ele estava no lado da mãe dele. Ele acompanhou ela quando estava lá no oxigênio e ele foi entubado antes, ela foi entubada na segunda-feira (1º). Ela está reagindo bem, mas precisa de um leito também — conta a esposa Eliane Schmitz Pegoraro. 

    Quando a Eliane soube que o marido seria transferido de Chapecó para o Espírito Santo, ficou angustiada. O caminhoneiro se tornou o primeiro catarinense levado ao estado capixaba.

    — No primeiro momento que o médico falou eu até fiquei bem angustiada porque é um lugar longe. A gente fica com o coração na mão, só que é o melhor para ele neste momento. Ele precisava muito de um leito de UTI — lembra.

    > Clique aqui e receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

    A transferência foi feita pelo Arcanjo 2 do Corpo de Bombeiros Militar. A aeronave partiu de Florianópolis para o Oeste. Após buscar Daniel, o voo partiu em direção ao Espírito Santo.

    O morador de Chapecó foi internado no Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, no município da Serra, localizado na região metropolitana da capital Vitória. A unidade ofereceu 16 leitos ao governo de SC. Até a manhã desta sexta-feira (5), apenas mais uma transferência havia sido realizada.

    > Opinião: Lockdown em SC é necessário e urgente

    Segundo a esposa, Daniel começou a sentir os sintomas no dia 20 de fevereiro. A evolução da doença foi rápida. Ele foi levado à UPA, onde foi intubado e permaneceu até a transferência. Durante o período de incerteza, Eliane conta que rezava para que surgisse um leito de UTI. Momentos antes do embarque, ela conseguiu encontrar o marido.

    — Eu falei para ele que eu e a minha filha estávamos bem, que era para ele ficar bem e voltar logo para a casa — recorda.

    > Entrevista de André Motta à Globonews retrata uma SC que não existe

    Após a chegada, a mulher passou a receber boletins diários sobre a saúde de Daniel. Segundo ela, ele teve uma melhora na saúde, mas segue intubado na UTI. Já Margarida tem um quadro delicado e segue intubada, conta a nora. A família recebe informações sobre ela todos os dias pelos médicos da UPA.

    Chapecó vive um colapso no sistema de saúde com lotação em hospitais e filas para conseguir leitos de UTI. O município já confirmou 26.546 casos e 319 óbitos pela Covid-19 desde o início da pandemia.

    Confira a restropectiva da pandemia do novo coronavírus 

    Leia mais:

    Idosa morre por Covid-19 e duas filhas permanecem intubadas na UTI

    Internado com Covid-19, candidato a prefeito de Blumenau nas Eleições 2020 desabafa: "Fui um idiota"

    Ciclone no mar mantém o tempo instável nesta sexta-feira em SC

    Colunistas